16 de jul de 2016

Uma ode a catuaba

Não sou alcoólatra, mas gosto de tomar uns bons drinks de vez em quando, como qualquer pessoa. Além de cerveja, chope e vinho branco, que eu bebo independente da estação, sempre tenho aquele que é o combo queridinho do momento. Por bastante tempo eu era a maluca da vodca com energético. Depois virou suco de laranja com vodca. Depois virou Bacardi com Schweppes. E então, graças ao Carnaval, a minha obsessão do momento se tornou – e continua sendo – catuaba.

Há quem leve para um lado errado pelas propriedades afrodisíacas da bebida, há pessoas que encaram com curiosidade e aquelas que falam mal porque adoram ser idiotas, simplesmente assim. Só sei que depois que tomei o primeiro gole dessa bebida, misturada com gelo e suco de uva em pó, o mundo se tornou mais legal. Sem preconceito, sem julgamento, sem bad vibes.

Levanta catuaba no acampamento, muito feliz 

Vou elencar minhas coisas favoritas na catuaba:

- os nomes e as embalagens costumam ser engraçados. E, ok, um pouco machistas também, por trazerem mulheres seminuas muitas vezes. Mas comprar um negócio chamado “catuaba gulosa” ou “catuaba selvagem” sempre gera alguns minutos de diversão, do momento da compra até o momento d compartilhar com os amigos.

- o sabor é bom. Eu não gosto de bebidas fortes mas também não gosto das muito doces. Detesto aqueles drinks com leite condensado dentro, por exemplo. A catuaba fica em um ponto exato entre amargo e suave. E com o saborzinho de uva a pessoa sente que está tomando um refrigerante. Até que ela se dá conta que são uns 14% de álcool, levanta e tropeça na mesa de centro.

- o preço é a melhor parte. Sabe essas festinhas e aqueces em que cada um leva o que vai consumir? Se você pensar bem, um fardinho de latas de cerveja passa fácil dos 30 reais. Já uma garrafa de catuaba custa por volta de 7, 8 reais. Assim, suave. E você ainda divide com mais umas duas ou três amigas. Todas ficam alegres e fazem economia. Em tempos de crise, né gente, é o melhor que podemos fazer.

- no verão você coloca gela na catuaba e fica uma delícia. No inverno você finge que é vinho e vai na temperatura ambiente mesmo, sem medo de ser feliz.

Apenas tome cuidado pra não ficar muito loucão em um piscar de olhos. Não foi nem uma nem duas amigas minhas que falaram “nossa, mas isso nem parece ser muito alcoólico” e de repente estavam rindo muito e com as bochechas rosadas, visivelmente embriagadas.


E aí, bora tomar uma catuzinha? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro comentários! Vamos conversar?