25 de jul de 2010

bebemoração de 21 anos

Muito foi falado sobre o meu aniversário de 21 anos. Chega a hora de fazer um resumão e finalizar esse assunto.

Então. Comemorei os meus 21 anos três vezes. Na tarde do dia 20, levei torta e cachorro-quente e refrigerante e velas e chapeuzinhos para os meus coleguinhas na agência. Na noite do dia 20 chamei meus pais, minhas avós, minha tia e meu primo para irem lá em casa comer mais coisinhas de festa. E na noite do dia 23, reuní um montão de amigos em um pub chamado Dutx.

Foi tudo muito bacana. Além de agradecer por todos os recados que eu recebi no Orkut, no Twitter, no msn, no Facebook, pessoalmente, por telefone e por SMS, gostaria de agradecer a algumas pessoas em especial.

Obrigada Déia pelo lindo cartaz com o "follow me @nicoledias". E desculpa por ter deixado ele molhar com o chope. ;/
Obrigada Bruno pelas deliciosas trufas da Cacau Show. Ainda tenho umas quantas e fico feliz cada vez que como uma. ;) Obrigada também por aquela bebida sinistra do cantil. Todo mundo tomou um golinho e fez cara de limão azedo. haha
Obrigada Rael por levar a gente até a pizza no cone naquelas horas da madrugada. E por ter dado carona para casa também.
Obrigada Lucas por ter convencido os caras do pub a me darem uma torta de sorvete e um drink legal. Estamos quites, hein, parceiro?
Obrigada Fernando pelo lindo copo gigante de madeira. Sinto muito por ter te devovido ele. Considere como um presente de aniversário adiantado. RÁ!
Obrigada Bepi por ter me deixado escolher qualquer coisa do cardápio do pub. Escolhi a torre de chope devido a forças maiores - os guris colocando pressão, hehe.
Obrigada Marcelão por aqueles copinhos com líquido transparente e extremamente forte, que eu tomei apenas por ser a aniversariante, é claro. ;)
Obrigada cantores do Dutx, que não sei o nome, por terem cantado "Parabéns" para mim. Obrigada também a todos os desconhecidos que estavam no pub, que cantaram junto.
Obrigada Cleber por ter tocado gaitinha e ter tomado aqueles copinhos de líquido transparente e extremamente forte comigo. Mas eu ainda te mato por ter divulgado AQUELA foto.
Obrigada Vitor por ter tocado músicas no violão e ter trazido a maior surpresa da festa: um cara
vestido de hipopótamo.

E obrigada também a todas as outras pessoas que estiveram presentes: Mary, Paulinha, Cibele, Betina, Gabi, Kleiton, Lidi, German, Irmã do Lucas, Narelly, Caio, Dione, Zanette, Vanessa, Jaque, Vivi, Juli, Bruno, Vini, Lili, Jô, Renan, Mariana, Douglas, Kétlin... Ah, e também os dois garotos que estavam sentados com a gente lá, que até agora não sei quem eram. Mas enfim, tudo é festa!

Alguns cliques:
Se você é meu amigo no Orkut, poderá ver lá as outras fotos no álbum"meu aniversário de 21 anos". Se você não é meu amigo no Orkut, pode me add, mas eu apenas pensarei em aceitar se você deixar uma mensagem assim: "Bah, Nicole, me aceita aí. Sou super seu fã!". hahahahahaha :D
Até a próxima!

23 de jul de 2010

refrigerante de refil

Finalmeeente, habemos Burger King na cidade mais próxima da minha. Sim, na mais próxima, porque onde eu moro não tem nem escada rolante nem cinema, o que dirá uma franquia deliciosa de hamburgueres, não é?

Enfim. Eu comia muito no Burger King ano passado, quando eu estava fazendo intercâmbio e os lanches custavam duas libras e eram bem completinhos. E desde então eu não tinha ido mais. Mas agora isso acabou, people. Vou comer FOREVER lá.
Ou não tanto assim. Eu sou louca por aquele duplo cheeseburger com bacon crocante e delicioso, mas nunca consigo comer tudo. Eu super insisto, mas sempre sobram umas 7 batatinhas e um naco de pão na minha bandeja. E um tempo depois, quando a fome volta, eu me arrependo por não ter comido o que sobrou. O que é bizarro, porque um naco de cheeseburguer nem tem uma aparência apetitosa.

Whatever. O que eu mais gosto no Burger King, além daquela coisa de ser obrigatório comer lá usando a coroa (ok, nem é obrigatório, mas eu uso), é o esquema do refrigerante de refil. Porra! O cara que inventou isso é um fuckin' genius!

É uma vibe total Nintendo Sixty Four. Você vai lá, bebe o refrigerante e depois serve mais e mais e mais, forever bebendo refrigerante e servindo o copo de novo! Ok, nem é forever, afinal, diz na notinha fiscal que isso é válido por meia hora. Mas, se você se dedicar de verdade, consegue beber muito em meia hora. O que nem sempre é bom, tenho que admitir, ainda mais se você quer olhar todas as lojas do shopping depois de comer e tal. Depois de um cheeseburguer duplo e litros de Coca Cola, você só quer deitar de barriga para cima e jiboiar all afternoon long.

Cara, eu super poderia ir lá no Burger King hoje. Mentira, hoje é domingo e é o dia que o meu pai cozinha. Nada pode superá-lo. :)

Enfim. Meu irmão ficou muito contente ao ir no Burger King comigo esses dias, ainda mais quando eu implorei para que ele colocasse a coroa.


É muita alegria, não?
Beijos, people! E aguardem o post sobre a comemoração do meu aniversário de 21 anos. Foi doida. =D

19 de jul de 2010

a exímia figurante

Gente, é com muita emoção que venho postar hoje. Não porque é meu aniversário amanhã, e sim porque estou diante da realização de um sonho: fui estrela de um curta metragem realizado por meus colegas na disciplina de Produção Audiovisual 3. Ok, na verdade não como estrela, mas eu participei... bem... como figurante! O que não deixa de ser uma participação digna, temos que admitir. Sim, eu sei que vocês estão DOIDOS para assistir, então não vou privá-los dessa vontade. Vejam abaixo:

Parte 1, que eu não apareço, mas é interessante assistir para compreender o contexto da minha participação. Tá, talvez nem seja, mas, assistam mesmo assim, é MUITO engraçado! :)


Parte 2, onde eu estou, aos 03:56. Eu sou a garota nerd de roxo, para quem não me conhece. Notem que eu sou uma exímia figurante. Ah, se a Globo me descobre... hahaha


Então, duas coisas.
1- Parabéns aos coleguinhas que produziram esse curta. O Gruber, que dirigiu e tem um baita blog que eu tenho inveja, porque é muito bom, e o Cesar queridão, que é o protagonista e escreveu o roteiro desse curta. :) E todos os outros envolvidos também: Raquel, João, Carols e tal.
2- Quero me antecipar e já agradecer aos parabéns e elogios que receberei, pelo meu aniversário e pela minha maravilhosa atuação. RÁ! hahahahaha

Beijo, gente! =)

17 de jul de 2010

quase fui atropelada

Então hoje eu fui buscar o meu irmão no trabalho dele e quase fui atropelada no caminho. Mas foi por muito pouco mesmo.

Tipo, eu moro em Estância Velha, que é uma pacata cidade do interior do Rio Grande do Sul. E meu irmão trabalha na cidade ao lado, Novo Hamburgo. E eu também trabalho lá, já faz mais de meio ano. Enfim. Novo Hamburgo é uma cidade muito mais cosmopolita que Estância Velha. Estância Velha é como, sei lá, fim de tarde tomando chimarrão, enquanto Novo Hamburgo é uma baladinha. Ok, isso foi meio nada a ver, mas vocês entenderam, né? Em Estância Velha eu atravesso a rua tranquilona, na maioria das vezes. Já em Novo Hamburgo, todo cuidado é pouco. Tem muitos carros, gente andando, sinaleiras, whatever. Eu adoro essa agitação, mas é preciso ter cuidado, people!

Daí eu estava lá, andando com a minha sombrinha azul na mão (estava chovendo), pensando se eu ainda sabia chegar no trabalho do meu irmão conforme as instruções que minha mãe havia dado. A certa altura, olhei para a esquerda e estava prestes a atravessar a rua quando uma voz atrás de mim disse: "Cuidado, moça!". Então eu fiquei alerta e parei. Nesse momento, passou MUITO perto de mim um carro vindo da direita - carro, esse, que teria passado POR CIMA de mim se eu não tivesse parado. Cara, minhas pernas amoleceram. Agradeci a mulher que salvou minha vida. Eu até teria abraçado ela e tal, se não tivesse chovendo muito aquela hora - como é que se abraça uma pessoa quando todo mundo está segurando sombrinhas? Impossível!

Esse acontecimento me fez pensar em tanta coisa... Sabe-se lá o que teria acontecido se eu tivesse mesmo sido atropelada! Será que eu teria morrido, ficado paraplégica, quebrado um braço? Muita coisa poderia ter acontecido. E tantas vezes eu reclamo porque não tenho roupa pra ir na balada ou porque as pessoas comem Cheetos dentro do ônibus, quando deveria estar muito agradecida por estar viva e feliz e não presa nas ferragens de um carro!

Ok, isso ficou bem piegas e mórbido, mas espero que vocês tenham entendido a ideia.
Não fui atropelada e vocês ainda verão muitas aventuras aqui no Blogando.

PS: E terça eu faço 21 anos! :)
Beijos ;*

12 de jul de 2010

ponderações sobre o meu estranho gosto musical

As pessoas costumam olhar para mim com cara de “what the fuck????” quando eu digo que super curto alguns sertanejos universitários. E a expressão de incredulidade só aumenta quando eu começo a cantar - talvez porque afinação não é exatamente o meu forte, ou talvez porque eu faço uma pequena dancinha com a mão na testa quando canto sertanejo. Como nessa foto aí debaixo.

Enfim. Meu gosto musical é, eu diria, muito abrangente. Muito. Eu curto The Frattelis, Strokes, Panic at The Disco, U2, Maroon 5, Aerosmith, Nickelback e Franz Ferdinand. Mas também canto músicas de Lady Gaga, David Gueta e Black Eyed Peas. Acho Baby, do Justin Biba, viciante - e curto sertanejo universitário. How bizarre!

Esses tempos resolvi gravar um CD com as músicas que mais estou escutando no momento. Chamei ele de “Só as boas da Nicole”. E percebi que meu estranho gosto musical choca as pessoas. Vamos aos exemplos práticos! ;)

Fui com meu pai a Porto Alegre algumas semanas atrás. Dá uns 40 minutos de viagem da cidade onde moro. Coloquei o cd para rodar e meu pai fez bico. Para ele, música boa é AC/DC, Led Zeppelin e tal. E quando começou os sertanejos, então, foi tenso.

Na verdade, aconteceu assim: a música que estava tocando era Jadded, do Aerosmith. E eu sabia que depois dela começava Meteoro da Paixão (sim, é verdade, eu tenho essa música no meu cd) e meu pai teria, sei lá, um treco com aquele “insulto musical”, mas deixei rolar. Então a música começou e eu mantive uma expressão impassível, bem no estilo “não, não está tocando Meteoro da Paixão, por que você está me olhando com essa cara, papaizinho lindo?”, enquanto meu pai fazia a expressão de “Porra, cacete de música, quero arrancar meus tímpanos!”. Então caímos na gargalhada, é claro. E tiramos meu cd. Droga.

Outro dia fui com um amigo meu a Caxias do Sul, muuuito mais longe do que Porto Alegre. Esse meu amigo foi mais compreensivo - só se recusou a ouvir Miley Cyrus. Porém, no final das contas, disse que só umas 2 ou 3 músicas da minha seleção prestavam. Ok, né?

Gosto de tudo que é coisa, people! Portanto, aceito sugestões. No meu sopão musical sempre cabe mais um!

Obs: Meu blog estava dando erro nos comentários. :( Mas agora acho que tudo voltou ao normal. Viva! E um beijo!

9 de jul de 2010

julhos passados

Escrevi em julho de 2007:
Meudeusdocéeeu. Sexta-feira é meu aniversário. E vou fazer 18 anos. E estou achando meio, hã, assustador. [...] Fazer 18 anos é como ultrapassar uma linha imaginária que eu mesma tracei. E, claro, passar dessa linha não muda nada. Ou muda. Vou poder doar sangue e fazer meu cartão da Renner. Mas, por outro lado, vou ser a responsável por meus atos! Adeus vida de crimes e impunidades.

Escrevi em julho de 2008:
... E que esses 19 anos não passem tão rápido quanto esses 18, pois morro de medo de fazer 20. Eu gosto de brincar dizendo que fazer 20 anos é o início do fim (desculpa aí quem tem 20, aiehaoi). É claro que quando eu chegar lá, fazer 30 é que vai ser o início do fim (ops, desculpa aos que tem 30). Mas, enfim, vocês entenderam, não é?

Escrevi em julho de 2009:
No meu aniversário (20 de julho e dia do amigo), estarei distante, lá na Europa. Vocês podem enviar presentes e cartões para minha residência no Brasil, que minha mãe tomará os devidos cuidados com eles.

Escrevo em julho de 2010:
Pois é, people. Agora estou no Brasil, prestes a fazer 21 anos. Atravessei as barreiras imaginárias e agora farei parte do time dos que tem "20 e poucos". Medo.
Bom, pelo menos poderei entrar em mais festas agora. E fazer habilitação para dirigir caminhões. Uhul, um mundo de possibilidades se abre diante dos meus olhos! haha, NOT. Mas fazer 21 anos não é tão ruim, né? Poderia ser pior. Poderia ser, sei lá, 27. Deusdocéu, nem quero pensar nos meus 27 anos...

Enfim. Caso estejam em dúvida sobre o que me dar de presente, fiquem de olho no meu Twitter. Postei por lá várias dicas. hahahahaha :D
E que venha a idade!
Beijometwitta! ;)

4 de jul de 2010

muito além do "the book is on the table"

Nos últimos 3 anos, todos os meus sábados de manhã foram tomados por uma atividade: o meu cursinho de inglês. Justo o sábado de manhã que, para muitos, nem existe. O limbo, sabem? Pois lá ia eu, cedinho, para a aula. Às vezes precisava tomar uma coca-cola, às vezes uns 4 ou 14 copinhos de café, às vezes eu ia direto da festa para a aula, mas tudo bem. Porque, muito mais do que aprender o the book is on the table e todos vocabulários, eu fiz amigos.
Amigos que cantam "Porto Alegre é longe" no palco da balada, que fazem churrascos e caipirinhas deliciosas, que trazem sorvete e pizza para a aula, que tem pôneis em casa, que usam vestidos de veludo, que escrevem livros, que estudam farmácia, que imitam o Lula, que vão na baladinha de sertanejo universitário mesmo odiando o estilo, que são professores...

Amigos de todos os tipos. Amigos que eu espero levar para a vida. Porque ontem foi a nossa formatura. Acabaram-se as aulinhas divertidas e as risadas com intermináveis térmicas de café. Mas, como eu escrevi no discurso da formatura, ficarão para sempre as lembranças.
Já estou com saudades!

Ok, no próximo post voltaremos à nossa programação normal. Chega de pieguice e nostalgia! Colocarei aqui o vídeo da nossa entrada na formatura, jogando confetes e dançando "Reggae Night". Memorável. :D
Kisses ;**