27 de dez de 2008

desperte a deusa em você

Quem me conhece sabe que eu sou uma pessoas de manias e invencionices. Tipo ler com os pés para fora da sacada, executar dancinhas irlandesas em momentos de extrema alegria, dizer que vou me entupir de chocolate e comer apenas um Stikadinho, chamar pessoas (inclusive mais novas que eu) de tio, enfim. Mas nunca, na extensa e incrível história da minha vida (que, vejam bem, já tem quaaase duas décadas!) uma mania se tornou algo tão... grande. Tipo uma febre, uma tendência. Estou falando, é claro, da Pose de Deusa. Agora, para explicar essa mania que já saiu de Estância Velha City (onde?) para o mundo, entrevistarei a pessoa ícone do movimento: eu mesma.

N: - Me diz aqui, Nicole, de onde surgiu essa tal de Pose de Deusa?
N: - Olha, começou, tipo, do nada. Nem sei dizer o momento exato em que começou. Só sei que no início desse ano, quando eu dizia que ia fazer chapinha no cabelo, dizia que ia ficar linda e lisa, como uma deusa (inspirada naquela musiquinha). Dai comecei a fazer desfiles de deusa, sorrisos de deusa e, então, a pose de deusa.

N: - E como é, diabos, a Pose de Deusa?
N: - Muito simples, cara Nicole. Basta colocar a mão direita na cabeça, a mão esquerda na cintura e fazer uma cara sorridente e confiante, como uma deusa.

N: - Qualquer um pode fazer a Pose de Deusa?
N: - Bom, eu acredito que sim. Qualquer pessoa que possua dois braços está apta a fazer. Só que, sei lá, os homens meio que não gostam dessa pose. Eles acham que ficam meio... gays. Mas as mulheres amam, de crianças à senhoras, todas guardam uma maravilhosa deusa dentro de si. Basta fazer a pose e revelar ao mundo. (risos).

Viram? Siiiimples! Então, para fechar 2008 com chave de ouro, lanço aqui a campanha: "Desperte a deusa em você". Basta tirar uma foto fazendo a tal pose e mandar para o meu email (nicolesdias@hotmail.com). As fotos serão postadas no meu álbum exclusivo de poses de deusa, que você pode conferir clicando aqui. Pode ser no quintal, dentro de casa, no colégio. Sua mãe pode estar junto, inclusive. O que importa é não perder o sorriso!

E como 2008 está ali, no finzinho, deixo aqui registrados os melhores post desse ano, nesse blog.
- a gravata rosa do bonner
- sobre cereais matinais
- artistas perdendo a linha
- emília e buddy poke
E que venha 2009! Feliz ano novo, gurizada! Paz, amor, saúde, prosperidade, posts bons e poses de deusa! FUI! ;DD

11 de dez de 2008

por um natal mais light

Meu Natal seria definitivamente mais feliz se todas aquelas comidinhas natalinas fossem gostosas do jeito que são e não engordassem nada. Posso pedir isso para o Papai Noel? (Seria uma boa, o Bom Velhinho bem que precisa de um regiminho...). Panetone, peru recheado, farofa, chocotone com sorvete e calda de chocolate (é uma delícia!), pudim de leite-condensado... É tudo lindo, ficam maravilhosos reunidos na mesa, na hora da ceia. Todos jantam, felizes, parecendo um comercial de margarina. Mas, no dia seguinte, vem a culpa. "Óh, céus, por que comi aquele décimo primeiro pedacinho de pudim?" e "Valha-me Cristo, não deveria ter comido o panetone extra-grande inteiro". O que me deixaria bem agradecida seria o seguinte: comidas natalinas, sendo comidas no dia do Natal, tem calorias 0! Nada de calorias, já pensou que ótimo? Na verdade, isso deveria se aplicar a diversas datas festivas. Chocolates na Páscoa, brigadeiros em festinhas de aniversários... Bom, mas daí eu já estaria querendo demais. :D

16 de nov de 2008

o tempo urge, benhê

2009 já está aqui no ladinho, batendo na porta, louco pra entrar. Mas, calma lá! Nesse pouco tempo que nos resta, ainda dá tempo de viver muita coisa, até mesmo incríveis histórias de amor! Seguindo o exemplo de Britney Spears, você pode se dar conta que aquele seu amigo de infância, que usava aparelho e óculos, agora é lindo e é ele que você quer para toda vida. Daí, o processo é simples! Basta pegar um avião, ir para Las Vegas, e, bem... casar! Você pode ter inclusive alguém vestido de Elvis como testemunha! E, caso não seja tudo aquilo que você sonhou, é só cancelar! Fala sério, quer algo mais simples que isso? Você também pode terminar um namoro, começar outro, se declarar para aquele vizinho do andar de cima, fugir com os ciganos, enfim. O tempo urge, 2009 está chegando – e os corações continuam apaixonados (ou não). Bons romances. E que venha 2009. :D
___________________________
Outras coisas que você pode fazer nesse um mês e meio que nos resta de 2008:
- doar sangue: a doação dura um dia. Só unzinho! E você ainda ganha sanduíches, chás, bolos... Em troca de um pouquinho de sangue, coisa que você tem de sobra nesse corpinho. Vai lá e doa, joe!
- perder peso: afinal, revistas de dieta não faltam por aí. Temos 6 semanas pela frente. Se organize, meu bem. Numa semana, dieta do chá verde. Na seguinte, dieta do feijão. Siga em frente, sem desistir, que lá na noite da virada você vai estar 100%, hahá!
- ler: no mínimo uns 5 livros, de um tamanho considerável, eu diria. Não me venha ler um livro infantil do estilo “O Urso Barriguinha” e dizer “hahaha, consegui ler bem mais que 5, lero-lero”.
- hm, se eu pensar em algo mais eu digo, hein? Mas as possibilidades são infinitas! Te puuuuxa, joe! :D

2 de nov de 2008

Emília e Buddy Poke

Sim, a democracia é feita neste blog! Vocês votaram e aqui está o post vencedor, seguido de um post que vale a pena ser lido! Mas, não se desesperem. Os outros posts da votação aparecerão, algum dia. São bons demais para serem esquecidos, hohoho. (:

O incrível dia em que trabalhei vestida de Emília
O dia da criança estava chegando e minha colega Anelise resolveu que seria muito legal se alguém se vestisse de algum personagem e distribuísse pirulitos e simpatia entre as crianças. Surgiu, então, o burburinho. "Olha, a Nicole já se vestiu de Minnie numa festa", etc. Foi que foi que eu fui a escolhida da loja. Surgia a questão - que personagem agradaria tanto meninos como meninas? E a cabeção aqui disse: "Que tal a Emília, do Sítio?" sem lembrar que a Emília, do Sítio, tem a cara toda pintada de branco e uma peruca pra lá de esquisita. Mas, enfim, todos gostaram da escolha, coisital. Alugaram a fantasia, chegou o dia. Horas sentada no banheiro tendo a cara pintada de branco e ouvindo a frase "Ô, meu, jamais pensei que um dia estaria nessa situação" vinda de mim, óbvio. Montaram pra mim um cenário bem bonitinho, com uma mesinha para as crinças desenharem e materiais para eu pintar os rostinhos delas (sim, você leu direito). Me entregaram uma cesta cheia de pirulitos, me deram um empurrão nas costas e disseram "Vai lá!". E eu fui lá. Um dia inteiro abordando crianças na Livraria, entregando pirulitos e pintando nelas bigodinhos de gato (é só o que eu sabia pintar!). Algumas crianças tinham medo - mas, também, uma guria de 1,73 de altura, com a cara toda branca, um sorriso maníaco, uma peruca e um vestidinho amarelo também me assustaria. Mas, no final das contas, foi um dia bem divertido, até.
Os melhores diálogos do dia devem ser transcritos aqui, de maneira quase idêntica ao que foi dito. Quando eu digo "elas" são as crianças, ok?

elas: - Ô Mília, tu veio lá do Sítio?
eu: - Sim, eu vim. :B (hahaha, eu não poderia dizer que não, né? Ou poderia?)
*crianças pensam um pouco* *crianças ficam com caras assustadas*
elas: - Então a Cuca veio também?
eu: - Não, ela ficou lá na casa dela, não se preocupem. (Só depois que eu lembrei que a Cuca mora numa caverna, não numa casa. Dã.)
elas: - Ufa!

menininho, apontando pra mim: - Palhaço!
mãe do menininho: - Não, não é palhaço. É a Emília!
menininho, apontando pra mim: - Mília!

crianças mostra para as outras uma revista do Pica Pau: - Olha, Pica Pau!
todas as outras: - Olha, Pica Pau, Pica Pau! (tipo, muito alegres). Olha lá, fulano. Olha lá, Mília.

Resta a questão: eles não conseguem dizer o "E" do Emília? hahahaha :~
__________

Considerações sobre os Buddy Poke:
- As pessoas adoram comentar comigo: "Noooffa, mas teu Buddy é tri parecido contigo!". Gente, vocês já viram o tamanho dos olhos desses bonequinhos? Ok, tá certo que meus olhos não são os menores, mas, poxa... E eles não tem nariz, certo? E o cabelo se mexe na ausência de qualquer brisa.
- Me empolguei quando vi a opção "orelhas". Daí fui lá e... Meu, que diabos são aquelas orelhas? Uma de gatinho, uma de coelho e duas, hã, não identificadas. Pra quê?
- Minha Poke é tão linda cantando no karaokê... Na verdade, sempre que eu modifico o humor eu coloco isso. Sim, sou bem original. (Ok, eu ponho ela naquela Motorela também, às vezes).

Eu voltarei! ;*

19 de out de 2008

já vai, já faço.

Daí eu fiquei com vontade de comer aquele bolo de laranja lá da padaria. O processo seria simples: sair do Orkut, trocar de bermuda, atravessar a rua, andar um quarteirão e comprar. Ok, daqui a pouquinho eu vou. Só vou ver o que ele vai me responder naquele scrap. Já tô indo. Daqui a pouco. Então, quando finalmente vou, a padaria já fechou. Isso acontece com frequência, essa coisa de deixar afazeres pra última hora. Eu, pronta pra balada, resolvo pintar as unhas dez minutinhos antes da carona chegar (e é claro que o resultado é péssimo). Dentro do ônibus, com ele em movimento, eu resolvo ver se tenho dinheiro pra pagar a passagem. Porém, não se desesperem! Eu sou bem responsável para outros assuntos (que não são do coração, haha). Trabalhos da faculdade, temas de inglês e coisas do meu emprego, por exemplo, eu faço na hora. Bem, não tão na hora, mas o mais breve possível. Pooorém, quando o assunto é "Nicole, seca a louça pra mim? Me ajuda aqui? Não esquece de separar o guarda-chuva, tá?" a resposta geralmente é "Ahã, já tô indo. Já faço, sem problema". Daí já sabe, né?
___________
Aí, galerê, vejam bem. Tenho 3 post incríveis e emocionantes, prontinhos (ou nem tanto), para compartilhar com vocês. Só que, sei lá, cara, não vou publicar os três na mesma vez né, haha, juuura meu, q. Então, proponho uma votação.
Qual o próximo post que vocês querem ler aqui?
a) a minha incrível doação de sangue
b) cara, fiz minha carteira de motorista
c) o incrível dia em que trabalhei vestida de emília
As eleições vão até o dia em que eu resolver que acabaram, afinal, eu sou a dona da budega e mando aqui. hahaha Até breve! ;*

5 de out de 2008

almoço pensando na janta

Podem me odiar e tudo mais, jogar pedras, fazer macumbas - não posso fazer nada. Eu sou bem daquele tipo que come, come, cooome e não engorda um grama. Posso comer brigadeiros, pasteis e pizzas de 5 queijos que as calorias não se acumulam nos meus quadris. Não preciso calcular quantas calorias tem em dois biscoitos se no pacotinho de 100 gramas tem 273 e muito menos cortar ao meio um alfajor. Continuo a mesma magricela - e com um apetite voraz! Almoço já pensando na janta, é bem assim que acontece. É claro que mantenho uma relação amigável com a comida. Nunca devoro uma caixa de bombons inteira, nem como quando estou entediada. Refeição tem hora certa - e eu procuro seguir isso. Porém, não podemos nos privar sempre de tudo, não é? Afinal... comer é uma das maravilhas da vida. Viva os chocolates, miojos e cachorros quentes! Comer é uma arte. Ficar magricelo... faz parte!

21 de set de 2008

pelo direito de ter horário para ler durante o expediente (ou um nome mais simples mas que a idéia continue a mesma)

Se eu pudesse levantar minha bandeira (e ela fosse levada em consideração sem ser necessário mobilizar toda a população com campanhas e passeatas) e defender de verdade algo, seria simples, fácil e bom pra todo mundo. "Pelo direito de ter horário para ler durante o expediente" (ou um nome mais simples mas que a idéia continue a mesma). Pensem comigo: você lá, trabalhando de tarde. Péee, soa o apito. Hora de ler. Meia horinha, você pega aquele romance da Nora Roberts de dentro da bolsa e vai com tudo. É claro, poderia ser uma revista, um gibi ou, vai lá, a 2937 reelida em Harry Potter. O importante seria o fato de estar lendo. Não custa nada e ajuda todo mundo. Problemas de analfabetismo? Todos acabados - com meia hora de leitura diária, todos seríamos os melhores leitores do mundo. O único problema seria que bem na melhor parte do livro... Péee, soaria o apito de novo. Hora de voltar a trabalhar, estudar, enfim, voltar à ativa. Nem tudo é perfeito, né?

24 de ago de 2008

tudo tem seu valor

Tudo na vida tem seu valor. Você paga para ir na balada, na manicure, paga por aquela blusa rosa bonita e por aquela sapatilha com lacinho. Paga em dinheiro, mas paga. Já quando o assunto é amizade, o valor é outro. Você precisa escutar sua amiga chorando o fora dado por daquele namorado babaca, emprestar seu cd novo com risco de ele não voltar nunca mais, repetir 2382 vezes que sua amiga não está gorda e acompanhar a galera em programas que você não está com muita vontade de ir. Porém, você também ganha carinho e atenção quando está manhosa, escuta conselhos quando precisa, recebe ajuda naquela lição de matemática que não entende de jeito nenhum e se sente feliz por ver o quanto é especial para aquelas pessoas. A amizade custa sim, tanto pra você quanto para o outro lado, os seus amigos. É um tal de dar e receber sem envolver quantias em dinheiro (bom, talvez até você tenha que emprestar uns reais para alguém, mas isso não vem ao caso). E, veja bem, colocando tudo na balança, você até sai no lucro! Dá pouco e recebe muito. Amizade é assim. Custa, mas que bom que existe.

17 de ago de 2008

a espiã da internet

Sim, confesso, eu espiono os outros na internet. Adoro as atualizações do Orkut - saber logo o que tem de novo para se ver. Se alguém mudou o relacionamento, logo vejo quem é, e se começou a namorar, se terminou. Se alguém mudou o 'quem sou eu', dou uma espiada - ainda mais se é alguém que eu sei que escreve perfis legais. Olho as fotos também - mas acho uó aqueles que só colocam fotos de si mesmos, se achando os mais gatos.com da internet. Fuxico, espiono, quero saber quem saiu com quem, quem viajou para onde, o que as pessoas leram, assistiram, estão ouvindo - porém, sou seletiva nas minhas 'espiadas'. Não gosto de ver os vídeos, nunca leio scraps alheios e, como espio as pessoas, não fico deixando no meu status frases como "parem de fuxicar minha vida' e semelhantes - baita hipocrisia. Eu apago meus recados sim, bloqueio minhas fotos e tal, mas eu fuxico mesmo. Não ganho nada com isso (ôo, se ganhasse, hein?), mas, veja bem, vou vivendo. ;D

9 de ago de 2008

a gravata rosa do Bonner

Ontem, durante o intervalo da faculdade (sim, eu tenho aula em sextas à noite), assisti ao finalzinho do Jornal Nacional - tomando café grátis com muito açúcar. O café e sobre ter aulas em sextas-feiras ficam para outro post - o assunto de hoje surgiu graças a Willian Bonner, que usava, com seu terno costumeiro, uma gravata cor de rosa. Diz meu professor que provavelmente foi a Dona Fátima que escolheu a dita cuja. Sei lá. Porém, a gravata rosa do Bonner me abriu a cabeça para milhares de coisas que eu jamais tinha pensado a respeito do mundo jornalístico (e olha que eu estudo jornalismo e já pensei várias coisas sobre isso). Por que os âncoras geralmente usam ternos e terninhos e o cara que fala dos esportes usa um "blusão" (ou uma jaqueta marrom)? O que os jornalistas vestem atrás da bancada de apresentação dos jornais? Por que não usam terno no Fantástico? Não é hora do Zeca Camargo dar um jeitinho naquele cabelo? (Não que isso venha ao caso). Mas, enfim, "filosofei" a respeito das vestimentas da televisão. Não cheguei a lugar nenhum com isso, mas fiz várias imagens mentais bem interessantes: Fátima Bernardes, no auge do verão, com seu blazer e de shortinho e Havaianas, sentadinha e pronta para as notícias do dia. Bonner de calça jeans. Bonner de calça de moletom e regata. Bonner de bermuda e chinelão Raider. Bonner de sunga. Uau! Eu disse que não cheguei a lugar nenhum, não disse? Mas, óh céus, depois que eu vi o Bonner de gravata rosa (mesmo que lilás seja muito mais tendência), tudo é possível.

18 de jul de 2008

coisas de amigo

Coisas que você pode fazer com seus amigos no dia do amigo: relembrar os maiores micos que vocês passaram, as festas, conversas, enfim, todos os momentos bons e felizes.
Coisas que você não deveria fazer com seus amigos no dia do amigo: brigar, falar mal do time, criticar a combinação calça xadrez e camisa listrada deles, desabafar problemas chatos de verrugas e calos nos pés.
Coisas que só eu posso fazer com meus amigos no dia do amigo: colocar 14 queridões dentro de uma van, rumo à uma balada a duas cidades de distância, para comemorar o meu aniversário!
Siim sim siiiim! Tive a sorte de vir ao mundo justamente no dia mais alegrinho de todos: 20 de julho, dia do amigo. Dia de abraçar, dar cartões, chocolates e mimos aos mais chegados e receber abraços, cartões, presentes e parabéns pelo meu niver. É claro que dia das mães, pais, namorados, Natal (e diversar outras datas comerciais que existem) são importantes mas, fala sério, tem coisa que só é legal com os amigos. Ir para a praça tomar chimarrão, falar pela vigésima nona vez sobre como o seu ex-namorado idiota terminou com você por telefone (e ouvir do seus amigos que ele era mesmo um babaca), dançar até de madrugada e voltar pra casa cantando "eu te amo, meu Brasil, eu te amo!", conversar em inglês no MSN, dar conselhos, abraçar, andar de braço dado, dividir algodão-doce, fazer coreografias do É O Tchan na garagem, passar domingos jogando vôlei... tudo coisa de amigo! É com eles que passamos os melhores (e fugimos dos piores) momentos de nossas vidas - momentos esses que devem ser curtidos ao máximo. Como já dizia o Pedro Bial: entenda que amigos vão e vem, mas nunca abra mão de uns poucos e bons.
Então, feliz dia do amigo pra todos os meus amigos velhos, novos, virtuais e de infância. E feliz aniversário pra mim, é claro. (:

9 de jul de 2008

dezenove primaveras

E, como vocês não devem saber, meu aniversário é dia 20 do atual mês. Aceito presentes, recados de felicitações, cartões postais, abraços, beijos, mimos, doces, whatever. Menos, é claro, aqueles terríveis carros com homenagens ao vivo, no estilo "Fulano, apareça!" e, quando Fulano aparece, começa: "Feliz aniversário, feliz aniversário, (clap clap clap) parabééééééns pra você!". Estar atravessando a barreira imaginária dos 18 para os 19 já é o bastante. Tipo, ano que vem faço 20 anos! Quando eu era criança, pensava que quando tivesse 20 eu, sei lá, teria um carro, um cabelo diferente, alguma coisa. E, olha pra mim! Continuo praticamente a mesma, sem carteira de motorista (e muito menos um carro!), com o mesmo cabelo (com um corte muito melhor, devo admitir) e ainda saindo com alguns dos amigos que eu já tinha a 10 anos atrás! Continuo achando graça em algumas piadinhas do Chaves (e, por falar nisso, porque diabos passa Chaves tão cedo na tv?), bagunçando os jornais da mesma maneira e tomando Nescau na hora da janta. Continuo sendo uma leitora fanática, embora esse vício tenha me trazido a necessidade de usar óculos, aliás, uma mudança que veio com a idade.
O tempo passa, algumas coisas não mudam, outras sim. Mas posso dizer que aproveitei por demais da conta, sô, meus 18 anos. Fiz muito, muuuita festa. Cheguei em casa com o dia amanhecendo. Tentei jogar boliche. Fiz mais uma tatuagem. Meti a cara nos estudos, troquei de emprego, fiz uma porçao de amigos novos, uma porção maior ainda de conhecidos. Comecei a aprender um novo idioma (espanhol, hola que tal?), a fazer prestações na Renner e pintar as unhas dos pés de vermelho (mas só depois que li Lolita, aiehaoie). Dizem que esses anos são os melhores, não são? Pois eu tratei de curtir tudo. :D
E que esses 19 anos não passem tão rápido quanto esses 18, pois morro de medo de fazer 20. Eu gosto de brincar dizendo que fazer 20 anos é o início do fim (desculpa aí quem tem 20, aiehaoi). É claro que quando eu chegar lá, fazer 30 é que vai ser o início do fim (ops, desculpa aos que tem 30). Mas, enfim, vocês entenderam, não é?

E, caso queiram me mandar presentes via Sedex, estou querendo um AllStar xadrez, um creme hidratante de pêssego da Natura e uma presilha para o cabelo em forma de estrela. Ok? ;)
Feliz aniversário pra mim, hu!

29 de jun de 2008

bye bye tchauzinho

Que mulher não se incomoda com aquele excesso de pele ali, encima do cotovelo, embaixo do biceps, algo meio que gelatinoso, o chamado... tchauzinho? Aquilo balança quando não deve balançar, marca blusas com a manga mais justa, enfim, é feio. E, para perder, somente malhando, galera. E malhar dói, e demora pra fazer resultado. Porém, se toda a tecnologia existente e que ainda não foi inventada estivesse em meu poder, esse problema se acabaria. O que seria criado e que eu e 80% das mulheres do mundo todo precisamos é o 'bye bye tchauzinho' - um aparelho em forma de bracelete que, usado encima da área problemática, lança uma carga iônica invisível que - plim! - acaba com qualquer chacoalho na hora de acenar. É a tecnologia em prol das mulheres modernas. Meu nome já está na lista se algum dia isso vier a existir. Alguém se candidata?

15 de jun de 2008

um rostinho bonito ou muita cuca no lance?

Pra se dar bem na vida, o que ajuda mais: beleza ou inteligência? Olha, menina, a resposta é bem simples. De nada adianta ter um corpo maravilhoso, um cabelo de comercial de shampoo e aquele rostinho bonito se te falta conteúdo. A menos, é claro, que você queira "seguir carreira" de participante do Big Brother (e depois de ex-participante do Big Brother. Cada um, cada um, ué).
É claro que a beleza, em algumas ocasiões, é necessária - como em carreiras de modelo, recepcionistas, atendentes das Lojas Renner (hmm, nem todas são...) - mas, no momento em que a beleza acaba... já era! Já a inteligência é uma coisa que fica. Muitas pessoas que são bem sucedidas não são necessariamnte bonitas. Bill Gates e o cara que criou o Orkut que o digam. A beleza abre algumas portas, não posso negar, mas a inteligência as mantém abertas. Não basta ser um rostinho bonito, tem que ter muita cuca no lance.

31 de mai de 2008

o retorno dos asteriscos aleatórios

- Alguém me explica por que pessoas como 'Verdade Bíblica" e "Duni Boy estão olhando o meu orkut?
- Que frio é esse que tá por aqui? Sério, hoje de manhã estava fazendo um grau aqui em casa! Um grau, minha cama estava quentinha e eu precisava ir para o inglês. E fui, pois sou muito dedicada, hehe.
- O termômetro da Feevale não pode estar certo. Quinta-feira ele marcava 2°C e ficamos enlouquecidas, pois foi justamento o dia que a professora de radiojornalismo nos mandou atravessar o Campus e gravar um boletim com alunos de pedagogia empresarial e, ah, o termômetro. Pois ele marcava dois graus. Hoje, dia que eu vi 1 grau no termômetro aqui em casa, o da Feevale marcava 23°C - sendo que na Feevale é sempre mais frio. Ou eu não sinto mais quando é frio ou calor ou estão conspirando contra mim.
- Estou re-lendo Harry Potter pela 834892 vez. Mas dessa vez lerei na ordem, do 1 ao 7, e não da maneira aleatória que vinha fazendo.
- Fui numa balada meia-boca aqui em Estância esses dias. E, é claro, algo extraordinário tinha que acontecer. E, é claro, aconteceu. Saiu hoje no jornal uma foto da minha galera com a legenda "Turma animadíssima na Sociedade Canto União, no último dia 23". Turma animadíssima, ok? Meu Deus, não basta eu ir na Cantum. Tem que sair no jornal que eu fui na Cantum.
- Vocês já escutaram um cara falando "pega o cavaquinho" na música Hey Jude, dos Beatles? É bem lá no finalzinho, pelos 5 minutos e tantos. Muito sinistro, caras.

- Fui! (:

28 de mai de 2008

volta pra mim?

Passamos bons tempos juntos, você e eu. Ainda guardo na lembrança os doces momentos. Meu moreno, você era irresistível. Com aquela roupa vermelha, me trouxe ótimos momentos de deleite. Te quero de novo. Sentir teu cheiro, teu gosto. Quero te devorar. E, olha só, vou começar devorando sua orelha. Biscoito Foffy, volta pra mim?

aiheioaheiohaoeia Foffy nunca deveria ter parado de ser produzido, ok? :D

15 de mai de 2008

o casamento nas prateleiras

Eu trabalho em uma livraria e me surpreendi com a quantidade e variedade de livros relacionados ao assunto casamento. Eles abrangem a todos: aqueles que querem ter o casamento dos sonhos, aqueles que querem melhorar o seu, aqueles que querem saber mais sobre esse fenômeno, e a lista segue.
Alguns livros mostram que o casamento é algo perigoso e difícil. Se você acha que seu casamento é/vai ser perfeito, fique longe de "Casamento - missão quase impossível" e "Profissão: esposa - a doce ilusão do casamento".
Já se você quer fazer com que seu relacionamento dure, os livros ideais são: "Casamento para toda vida" e "Lições simples para fazer o amor durar" (esse último é muito fofo!). Se você quer destruir seu casamento, existem livros para isso. Se você quer arranjar um marido, existem livros que dão dicas para conseguir. Livro é o que não falta pelas prateleiras da vida.
Eu sonho em me casar na Jamaica. Ou em Las Vegas. Ou em uma praia, ao pôr do sol. Seja lá qual for seu sonho, ou se você já é casada, vai casar, já casou e divorciou, ão quer casar - quando se encontra o amor de verdade, bom mesmo é ficar junto. Isso pode envolver alianças e papéis assinados ou não. E livros de auto-ajuda. Ou não.

10 de mai de 2008

sobre cereais matinais

Eu adoro comer cereais no café da manhã. Puros. Sem leite, bananas, mel, etc. Gosto de ouvir o croc croc do cereal sendo triturado por meus dentes no silêncio da manhã, enquanto leio meu jornal.
Porém, quando leio as embalagens dos meus queridinhos ou assisto as propagandas deles na televisão, sinto que estou fora do contexto das pessoas que ‘eles’ (‘eles’ são os chefes da Máfia do Cereal Matinal ;D) consideram comedoras de Sucrilhos e afins. Me sinto excluída.
Me sinto excluída pelos fabricantes de cereais, pelas pessoas que escrevem as coisas que saem escritas nas embalagens de cereais, pelos atores que são pagos para fazerem propagandas de cereais e por todos os outros envolvidos no processo de fabricação dos cereais, desde colhê-los a me dar o troco por eles no súper.
Vamos analisar alguns cereais gostosos:
- Nescau Cereal e Crunch: O slogan de ambos é algo como ”Cereal Radical”, “Cereal que detona” e tals. Seus comerciais sempre tem adolescentes meio estilosos que, ao comer uma tigela de cereal, ficam hiperativos e passam a jogar algum esporte muito violento e ‘radical’, com ‘power energia’ e tudo mais. Jogam capoeira chutando bolas de futebol, chutam bolas de futebol embaixo da mesa, chutam bolas de futebol e destroem paredes, enfim.
- Sucrilhos e Snow Flakes: Bonecos na parte da frente da caixa. Tigres e ursos que usam roupas. E, no verso da caixa, a mensagem “Se você comer cereais no café, terá uma manhã cheia de energia na escola”. Ou seja, cereal para crianças! Ok, pela embalagem com ursos e tigres eu já percebi. Mas tem brindes! Lápis de cor, carrinhos de fricção, carimbos... Oh, cara, como eu gosto de brindes.
- Moça Flakes: O cereal da mamãe. “Dê para seus filhos cereais integrais no café-da-manhã para que eles tenham um dia cheio de energia na escola”. Sempre elas: crianças e escolas. Crianças não precisam ter energia na escola. Basta prestar atenção na aula, oras.
- Nesfit: Aleluuia! Uma propagando interessante! Garotas com cabelos bonitos e roupas legais, se divertindo, fazendo compras, indo ao salão de beleza. A propaganda me seduziu. “Quero ser como elas e vou comprar este cereal” – foi o que pensei. Comprei o cereal. Os grãos eram marrons-quase-pretos. Ruins. Peguei nojinho. Meu pai que comeu o cereal das meninas estilosas e com vida saudável.

E vejam bem, nem citarei coisas medonhas como Sucrilhos de banana-split. Vocês podem perceber que ainda não foi criado um cereal que me tivesse por público alvo. E é por isso que eu digo, no alto do meu um metro de perna (eu medi, lero-lero, eu tenho um metro de perna). Eu digo com convicção. Eu brado. Eu digo em alto e bom som. Que. Continuarei comendo cereais mesmo que eles não me considerem alguém digno de se fazer comerciais. Cereais são bons, oras. (Uhul, é assim que se fala, garota!).

1 de mai de 2008

eu sou a cara da minha mãe

Ela mal sabe mandar torpedos pelo celular, usa sempre
o mesmo brinco e pinta o cabelo de loiro. Eu sou morena, adoro tatuagens e piercings e vivo na internet. Mesmo assim, o que mais escuto é: "Nossa, tu é a cara da tua mãe!". Cara, é verdade: sou a cara da minha mãe. Falo muito, como minha mãe. Converso com a vizinhança toda, como minha mãe. Até nos vestimos de um jeito parecido (uma assaltando o guarda-roupa da outra). Me dou muito bem com ela. É com ela que fofoco, peço dicas (mesmo que não as siga sempre, opinião de mãe é sagrada), peço ajuda, abraços, aprendo, ensino. É claro que existem aquelas briguinhas, de vez em quando. "Tu vai sair esse final de semana de novo?", "Abaixa o volume desse rádio!" e diversas variações das mesmas são normais. Mãe é mãe (sim, muito manjado) e eu sei que com ela eu posso contar. E quando ela diz para levar um casaco, eu sempre levo. Nessas coisas, mãe sempre acerta.

20 de abr de 2008

magricela - fora da passarela.

Dizem que modelos tem que ser magras para apenas carregarem a roupa que estão apresentando. Em outras palavras: cabide. A idéia pode ser essa mas eu não acho legal. Elas são modelos e, como o próprio nome já diz, são algo para ser seguido. Se o que é para ser seguido é ter pernas finas e nada de bunda (e vestir umas roupitchas muito estranhas...) me tirem dessa, ok? Fala sério, que coisa mais feia aquele bando de mulher igual, que parecem que nunca comeram uma pizza quatro queijos na vida, desfilando aquelas pernas secas e olhando fixamente para algum ponto imaginário em frente. Feio. Mulheres comuns não são assim. Como vou imaginar se fico bem vestindo calça balonê se só vejo sendo usada na passarela por uma seca qualquer? Não estou dizendo que as modeletes tem que ser como uma espécie de, hã, mulher melancia, mas concordo totalmente quando fazem projetos e tals para banir as magricelas das passarelas. Viva a pizza quatro queijos e as mulheres com curvas! (Para o site da Capricho).

PS: Aguardem o meu post-desabafo sobre as indústrias de cereais matinais. Esse ficará para a história.

12 de abr de 2008

De busão pra faculdade

Oi, oi, oi! Eu estava relapseando novamente, que vergooonha! Isso, porém, é fato inédito nesse blog aqui - e não se repetirá (ahã). Bom, vamos ao que interessa - o post do título (é, isso que leram agora nem faz parte do post, ok?).

Eu sou daqueles que vão para a faculdade de ônibus (e voltam de ônibus também, hã). Ônibus de linha meeeesmo, véi, nada de 'ônibus fretado' (sei lá, acho que ninguém freta um ônibus pra ir pra facul, mas vai saber...), topic, carro próprio, papaizinho bacana, bicicleta ou afins. É no busão. Pagar R$1,80 pro cobrador (que é um ex-colega meu! Não que isso acrescente algo ao post, mas, enfim, prosseguirei) e passar pela roleta, para, enfim, sentar. E, cara, não vejo problema nenhum em ser adepta desse meio. Inclusive me sinto ecologicamente correta utilizando o transporte público (pra ir pra faculdade. Acho meio uó ir pra balada de ônibus. Onibus e scarpin não combinam). O busão me deixa dentro da faculdade, no horário certinho, tudo nos conformes. Na hora da volta também, sempre no esquema. O motorista da noite, Tio Tomate, inclusive dá o número do celular dele caso alguém vá se atrasar - e ele espera a pessoa! (Ele é colorado mas é gente boa!! ;~). O´único problema nisso é quando os professores resolvem terminar a aula às 20:30 e meu ônibus só sai às 22:18 (e é 18 mesmo, eu já cuidei várias vezes). Daí o que acontece é que eu tenho que ficar mendigando pela Feevale, me perdendo nos corredores da biblioteca, sentada em um banco qualquer lendo, conversando, enfim.Hoje, minha aula consistia em ir para a informática e escrever uma resenha enorme sobre o filme "Obrigado por Fumar" - que eu recomendo. Porém, a Nicole espertalhona aqui já tinha escrito durante a semana a tal resenha e salvo em seu pen drive, apenas para finalizá-la na aula - pronta para fazer qualquer outra atividade que o professor fosse dar. O que aconteceu, no entanto, é que o professor não deu outra atividade - era fazer a resenha e tchau pra ti! Sem outra saída, o que fiz: li sobre nerds, pesquisei livros que quero ler no site da Saraiva, em suma, nada bacanão - Porque aqui na Feevale, pasmem, Orkut, msn, blogs, fotologs, páginas de jogos, páginas de torpedos e um milhão de outras coisas legais que você possa imaginar são bloqueados. (O Twitter não é, talvez eles nem conheçam isso. Mas não tem muita graça postar no Twitter o tempo todo - até pq o limite de caracteres é pequeno e blilili). E agora estou na sala de informática com 3 colegas que ainda estão digitando suas resenhas (ops, 2, uma menina foi embora agora) e são apenas 21:35 (3 colegas, a que saiu agora voltou) (agora 2 saíram) e estou escrevendo esse texto no meu próprio email, para mandar pra mim mesma (os blogs são bloqueados, lembra?). E o post está acabando e só resta mais um menino na sala, persistente na luta para finalizar a resenha. Até o professor se foi. Nesse momento, pegarei minha bolsa vermelha e irei pro busão (deve ter algum livro na minha bolsa para eu me distrair). Mas, quando sair, darei boa noite ao colega que agora vai ficar sozinho na sala, com o ar condicionado que gela demais e os computadores silenciosos. Tomate, aqui vou eu!

30 de mar de 2008

óh, céus, por quê?

Por que as pessoas, quando vão o um lugar, gostam de explicar o que vão fazer lá? Por exemplo: "Onde tu vai, mãe?" "Ah, vou no shopping. Primeiro vou pagar meu carnê na loja tal, depois vou passar nas Americanas, na livraria e bibibi" "Ah, legal". Tipo, às vezes até é certo explicar o que vai fazer em determinado ambiente, caso você vá a um hospital ou algum país bacana, sei lá. Porém, há casos e casos.
Existem situações em que a finalidade da ‘ida’ tá implícito. “Vou na padaria comprar pão”. Dã. ‘Vou na sorveteria comer sorvete”. Nãão, evidente que não, você vai é comprar um cd da Amy Winesouse e cantar Rehab dançando sozinho no quarto fazendo caras e bocas na frente do oi? Ah, sim, prosseguindo. Situação chatas e constrangedoras não faltam. Exemplifico isso com o caso de um amigo meu, o Jonas (na verdade o nome dele não é esse mas quem liga?). Jonas sempre anuncia quando vai ao banheiro e faz questão de explicar o que vai fazer lá. Inclusive gosta de especificar se é caso de número um ou dois, qual a intensidade dos ruídos que seu interior está fazendo e uma série de detalhes desnecessários. Não precisa, né? A não ser que você queira que as pessoas façam uma imagem mental de você naquela situação no banheiro (o que seria, na minha opinião, tremendamente desagradável, portanto, não me imaginem). Se bem que o que as mulheres fazem realmente no banheiro é o que os homens nunca souberam de verdade - e não sou eu que vou contar, hohoho. Com licença, agora vou ao banheiro e... deixa pra lá.

23 de mar de 2008

E se - thum - a internet acabasse?

Como seria se a internet simplesmente um dia acabasse? Assim, sem aviso prévio, do nada, apenas - thum! - sumisse? Justo quando você estava esperando aquela resposta por e-mail/precisava fazer aquela pesquisa/as duas alternativas e mais umas 2872894? Seria muito estranho. O telefone seria mais usado, as pessoas conversariam mais cara a cara, mandariam mais cartas. As bibliotecas estariam sempre cheias, os cds venderiam mais, a mtv teria mais ibope. Mas seria muito complicado. Como descobrir toda a vida do carinha que conheci ontem na balada? Ou fazer uma super pesquisa sobre a economia da Iugoslávia? Ou conversar com minha amiga que está nos Estados Unidos, marcar aquela pizzaria com os colegas da faculdade, escrever posts para o Tudo de Blog? Aliás, acabaria o Tudo de Blog. Acabaria Orkut, Twitter, YouTube e todas essas coisas que adoramos. Seria chato, tediante, enfim, tudo seria um saco. É claro que depois de um tempo todo mundo iria se acostumar. Mas, sei lá, que não aconteça, hein? O que seria de mim sem o tio Google sorrindo pra mim todo dia? hahaha

19 de mar de 2008

Um Deus para acreditar

Com a Sexta-feira Santa quase chegando, bate a questão: em que Deus você acredita? Sou da religião Evangélica mas não frequênto igreja. Acredito na existência de uma força superior a nós, que está em cada um. Cada um chama essa força como quiser. Eu oro todo dia, tanto para agradecer por tudo que tenho quanto para pedir alguma forcinha em algo, para Deus. Poderia ser para Jeová, Alá, Buda, Virgem Maria, São Tomé, mas oro a Deus. Isso não quer dizer que não acredito em outras forças ou outras religiões. Acredito em vidas passadas, reencarnação, reiki, guardiões espirituais, acho bacana os princípios budistas. Acho que quando o assunto é fé devemos ser abertos a tudo, já que cada um tem a sua. A fé move montanhas!
(Para o site da Capricho!)

A Páscoa já é domingo! Minha nossa, como chega ligeiro! Pro Natal é aquela espeeera, parece que nunca chega. A Páscoa não. Quando você vê, já é quarta-feira, depois quinta e sexta já é feriado e não tem que ir trabalhar (hahaha) e o cardápio é peixe a você adora e adora ir de manhã cedo até o Santuário das mães andando e no sábado você tem que ir trabalhar do mesmo mas, hã, hehe. Mas, como eu ia dizendo, a Páscoa é domingo. Então, queridões, Feliz Páscoa para todo mundo! Muitos Alpinos, Sonhos de Valsa, Twist, Prestígios, Diamantes Negros e Stikadinhos para vocês.
E, só para informar, aceito todos os chocolates citados acima (aceito até Sedex com os chocolates acima, caso você ainda não tenha entendido, ok? :P).

6 de mar de 2008

Vale tudo pela fama?

Coisas normais que as pessoas fazem para atingir a fama:
- mandam vídeos para o Big Brother;
- escrevem em blogs;
- colocam 28783 fotos com poses ousadas no Orkut.

Coisas um tanto estranhas que as pessoas fazem para atingir a fama:
- mandam vídeos dançando créu para o Big Brother;
- completam o pedacinho da canção no 'Qual é a música' de maneira muito desafinada (ou não);
- formam uma banda onde ninguém saiba cantar direito e as letras não tenham exatamente um conteúdo.

Coisas muito bizarras que as pessoas fazem para atingir a fama:
- mandam vídeos de uma intensa saga de um batman sendo perseguido por uma loira de biquini para o Big Brother (com Créu ao fundo, lógico)
- correm só de meia em estádios de futebol
- sambam sem roupa e cobertas de purpurina no carnaval, sorrindo muito e usando plumas na cabeça.

Vale a pena tomar essas atitudes estranhas por 15 minutos de fama?
- não. o sucesso vem com o tempo, para aqueles que merecem. não adianta forçar sua chegada.
- vale se você quer ser aquele manezão que fica famoso por 3 dias (quando isso) e depois todos esquecem;
- na verdade, querer ser famoso sem um talento real é olhar somente para seu próprio umbigo.

O que eu digo sobre isso?
- Menina, menino, deixem a vida correr. Se o sucesso chegar para você, se seu talento for reconhecido ou você for para o Big Brother, não deixe que as ofuscantes luzes da fama lhe ceguem. Não perca a linha, pois seguir o caminho de Britney Spears está bem fácil ultimamente.

Post para a revista Capricho

17 de fev de 2008

Artistas perdendo a linha

Artistas hoje em dia não tem mais jeito. Eles são seres privilegiados: tem vozes espetaculares, cabelos bonitos (ok, nem sempre), sabem compor, dançam, atuam, enfim, fazem e tem uma série de coisas que eu e você, reles mortais, não conseguimos. Então, por favor alguém responde, por que? Por que eles perdem a linha? Por que abusam de drogas, álcool e whatever enquanto tem um dom super bacana para deixar em evidência? Por exemplo, Amy Winehouse. Por um lado, bonita fisicamente e uma ótima cantora e compositora. Por outro, uma bebum encrenqueira, com tatuagens de ferradura e âncora na barriga, que consome toneladas de maconha e costuma apresentar seu shows mais louca que o Bozo (entenda-se por não apresentar seus shows). Porém, apesar da má imagem, a moça faturou 5 gramophones no Grammy desse ano, o que gerou muitas controvérsias - ela não merecer ganhar por ser um mal exemplo, aparecer doidona na mídia, cair nos shows e aquela coisa. Isso tudo é verdade - é. Mas acho que não podemos desconsiderar o talento que ela tem, pois se ela faz sucesso, foi por causa dele (se bem que barraco sempre dá ibope). Acho que a Amy devia internar pra valer pois se até o Keith Richards falou para ela sobre os males dos intorpecentes e a importância da desintoxicação, o bagulho tá sério.
Se eu fosse artista seria um exempo de verdade, humph.

9 de fev de 2008

Da série 'Meu irmão me ama' (ou: Poxa vida, como eu incomodo)

Mais um diálogo familiar. Eu no banheiro fazendo chapinha, meu irmão no quarto pipocando os canais da televisão (para variar).

Eu: - Já começou Big Brother?
Ele: - Não.
Eu: - Ah.

Meio segundo depois...
Eu: - Douglas?
Ele: - Sim?
Eu: - Começou Big Brother?
Ele: - Sim.
Eu: - Mesmo?
Ele: - Não.

Um terço de segundo depois...
Eu: - Doooug...
Ele: - Sim?
Eu: - E o Big Brother?
Ele: - Não.

Um tanto depois...
Eu: - Douglaas...
Ele: - NÃO! ¬¬
_____
- Fala sério, Beto Carreiro morreu. Ainda não engoli essa idéia. Tipo assim, eu nunca fui no parque e ele morre e eu fico tri no vácuo! Poxa, assim não dá. Depois eu resolvo ir na Disney e o Mickeymei morre e aí, como fica, hein hein?
- Por que chove em todos os domingos?
- Voltei a andar de bicicleta, depois de ter deixado ela guardada por uns 5 anos com os pneus furado (pneis, diria Gyselle do BBB).

5 de fev de 2008

Saiu do armário e me trocou por... outro?!

Se eu já acho O FIM ser trocada por meu irmão pelo videogame, pela minha melhor amiga pelo namorado dela e por minha própria mãe por algum programa de tv, imagine só meu namorado me trocar por um outro cara. Puts, eu ia me sentir terrível. Além de ficar enlouquecida, bater porta, afogar as mágoas com doces e cantar a plenos pulmões todas as músicas de corno que existem, minha cabeça não pararia de inventar indagações. O que ele tem que eu não tenho? ( além daquelas coisas óbvias?). Será que ele é mais carinhoso/engraçado/cozinha melhor/whatever? Ficaria fuxicando o Orkut do outro em busca de pistas. Se tornaria uma obsessão.Eu faria as mesmas coisas que faria se fosse trocada por uma outra. No final das contas, a tristeza e a raiva iriam passar e eu compreenderia: assuntos do coração a gente não escolhe - como eu poderia culpar meu (ex) bofe por trocar de time? (Se me trocasse por algum bonitão eu perdoava mais fácil. :P). POST PARA A REVISTA CAPRICHO - edição 1039

26 de jan de 2008

Das coisas que o dinheiro compra

Dinheiro traz muitas coisas. Com ele podemos ter sapatos bonitos, edredons cor de rosa, chocolates, internet, gasolina (enfim, você entendeu). Dinheiro traz conforto, segurança, paga estudos, planos de saúde. Porém, existem coisas que o dinheiro não compra (e para todas as outras existe er, hã, fecha parênteses) - e essas sim são coisas de valor. Amigos, por exemplo, não se compra. Saúde, amor - dinheiro nenhum consegue isso. Porém, o dito cujo (dinheiro, né :P) ajuda a proporcionar pequenos momentos felizes. Um sorvete com as amigas num final de tarde, um livro com uma história linda, um novo corte de cabelo que te deixa maravilhosa. Não importa o quanto você tem, e sim o valor que dá e como você usa. (Use com sabedoria!).

(Para revista Capricho - Dinheiro traz felicidade?)



Diálogo familiar
Eu, chegando em casa: - Vou fazer mais uma tatuagem!
Mãe: - Não, não vai.
Eu: - Claro que vou. Tenho duas, é par.
Pai: - É verdade, tatuagem tem que ser em número ímpar.
Eu: - Viu? Vou fazer.
Mãe: - Não, chega de tatuagem.
Eu: - Mãe, eu sou de maior, posso chegar em casa com um dragão alado nas costas se eu quiser. Só estou avisando porque eu tenho consideração com vocês.
Pai: - aheihaiehioaehoae
Mãe: - ¬¬
Família ê, família a, família!

18 de jan de 2008

Asteriscos inaugurais

Como era de costume no meu blog antigo (para vê-lo, clica aqui), quando me falta um assunto muito filosófico, complexo e com bases racionais (ahã) eu apelo para meus asteriscos aleatórios. Para quem não sabe, meus asteriscos aleatórios consistem em, hã, asteriscos, e em cada um deles eu abordo um assunto diferente. Mas não se confunda! Quando eu postar algo chamado 'Pastilhas aleatórias', não será a mesma coisa que os asteriscos - na verdade, o método é o mesmo. O diferencial é que o assunto aleatório abordado vem precedido de um risco ou tracinho - e não um asterisco. HAHAHA, como eu perco tempo escrevendo besteiras. :~~ Vamos para alguns asteriscos inaugurais, pois.

* Pelamoorrrdedeusedosantocoraçãodemaria, não comprem Sucrilhos sabor banana split. Foi dada a dica.
* Por que será que cores de esmalte tem nomes tão... peculiares? Concha do mar, algodão doce, deixa beijar, obsessão, via láctea... Como são criativos esses inventores de nomes para cores, não?
* Parabéns pra minha mãe, que está de aniversário amanhã. :DDDDDD
* Fim.

15 de jan de 2008

Sobre o Big Brother Brasil

Eu não mandaria vídeo nenhum para participar de qualquer edição do Big Brother. E, mesmo se eu resolvesse mandar, não seria selecionada: nunca fui modelo, nem posei nua, nem tenho silicone. E meu QI é maior do que de uma ameba. Em suma, eu não teria chance.

Acho uma maluquice e uma perda de tempo enorme querer participar de um programa onde ninguém pode trocar de roupa, arrotar, depilar as axilas ou espremer espinhas sem lembrar que todos, do pedreiro de obras a professora de matemática, estão assistindo, vidrados, cada momento.

Sem falar que os colegas de casa são todos bronzeados, siliconados, com sorriso colgate, quase manequins de loja com o cabelo mais brilhante. E, por incrível que pareça [cinismo mode on], a maioria dos 'manequins' quer seguir carreira de modelo-cantor-atriz-bailarina-whatever.

Levando tudo isso em conta, resta um pouquinho de lado bom nessa história. As únicas vantagens do BBB são as festas bacanérrimas que eles ganham (com direito a roupa e comidinhas à caráter) e poder abraçar, beijar, descabelar e pular no colo de Pedro Bial (ou Pedro Miaaaau) mesmo sendo o primeiro mané a ser eliminado.

Vamos dar uma espiadinha?

9 de jan de 2008

Da beleza de não assistir TV aberta, a exceção e a desvantagem

Peguei nojinho da programação da tv aberta. Não sei bem qual foi o motivo, se foi dar de cara com a Xuxa vestindo um macacão-quase-feito-de-plástico-prata no horário do meio dia, ou foi ver modelóides apresentando telejornais, ou ver que Fantasia voltou ao ar (se bem que Fantasia eu quero assistir e, não, essa não é a exceção citada no título). Whatever, o caso é que resolvi não assistir mais programas da tv aberta. Posso me dar bem com o dr. House e as receitas da Nigella muito bem, obrigado.
Falando assim, até parece que fico horas no sofá, o que não é verdade. (E aqui vem a exceção). Ligo a tv de manhã cedo, antes de trabalhar, e assisto (aqui está ela) Bom Dia Brasil, porque a Mirian Leitão é uma das poucas que me faz entender a política do Brasil. E de noite assisto pelas 7 horas uns 15 minutos de alguma coisa que estiver passando (geralmente é "ou eu ou meu cachorro" e "truques de oliver"), pois sempre arranjo outra coisa pra fazer nesse tempo. Às vezes, às 20h assisto meu queridíssimo House. E só. Pra quê mais que isso?
Bom, a desvantagem de não assistir a tv aberta é não saber o que anda acontecendo, digamos, na programação. Não, eu não acompanho novelas, mas... A desvantagem maior aconteceu ontem. Ai, caramba, perdi o "1° capítulo" de Big Brother! ¬¬¹²³¹²³

8 de jan de 2008

Estoy aqui!

Ai meu Deus, só pode ser perseguição. Resolvo postar depois de um bom tempo de 'relapsidão' no meu blog, o primeiro post do ano, e a droga da Uol (aguardem um post tremendamente ofensivo à Uol) resolve aprontar comigo. Mas calma, calma, não priemos cânica, já diria o Chaves. Ano novo, blog novo, e pronto. Meus posts antigos vocês podem ler no http://www.blogdanicole.zip.net/. Agora a questão é começar do zero. O endereço do blog mudou, já que aqui no blogger já existe um 'blogdanicole'. Me deu uma tristeza ter que mudar... Mas achei 'blogandocomnicole' muito mais participativo, hahaha. Quase como um programa de rádio ou sei lá.
Espero que alguém muito craque me dê dicas para layouts e sistema de comentários e thoisas assim.
E que muitos posts bons apareçam nessas novas Entrelinhas.

E eu volto, hein?