31 de out de 2009

da série "pauta dupla do TDB"

pink is my new obsession
O mundo seria definitivamente mais cor de rosa se todas as pessoas tivessem a cabeça aberta. A coisa é meio óbvia, mas é sempre importante explicar: nosso planeta está repleto de pessoas diferentes, que fazem coisas diferentes, vivendo em lugares diferentes. Gente de cabelo verde, de pele amarela, com maquiagens sinistras, que curtem um tipo de som diferente, ou que gostam de, sei lá, bordar ponto cruz. Tem menina que gosta de menina, menino que gosta de menino, e aqueles que gostam de todo mundo. Tem gente que tem muita grana, e outras que precisam estar sempre economizando uma graninha. Tem quem vai à balada todo dia, tem quem jogue RPG, tem aqueles que moram com a avó, ou tem os pais separados. E tem aquelas pessoas, digamos, normais. O mundo ficaria mais leve e bacana de se viver se as pessoas simplesmente aceitassem ele como é, com todas as devidas diferenças. Abrindo a cabeça para as culturas, bens e atitudes que não são iguais. Daí tudo ficaria bem lindo e pink. ;D

o que me tira do sério...
... é quando no domingo-pós-balada, os vizinhos resolvem fazer servicinhos domésticos que não foram executados durante a semana. É claro que esse serviços invariavelmente envolvem um martelo ou uma furadeira - em casos extremos, os dois. E é óbvio que impedem que eu descanse aquelas 8 divinas horas que são extremamente necessárias. E isso me deixa de mal humor o dia inteiro. Vizinhos ladinos!

18 de out de 2009

sorte ou azar?

Definitivamente, eu não sou uma pessoa de sorte. Nem no amor, muito menos no jogo. Nunca achei muito dinheiro no chão, no máximo algumas moedinhas. Nunca ganhei em rifas, bingos, nem na loteria. Admito que já fiz coisas legais, mas nunca me aconteceu nada na base da sorte, sempre teve muita ralação por trás.
Para mim, nem adianta apelar para os truques conhecidos: pés de coelho, acordar com o pé direito, fazer figa - nunca topo com um artista na rua (ainda mais em Estância Velha, né), nunca é o meu nome o escolhido no sorteio de Natal, nunca ganhei nem 5 reais na raspadinha.
Certa vez, minha avó ganhou um forno elétrico em uma rifa. E um jogo de louça. Minha mãe foi sorteada com um microondas, meu pai com um celular.
Minha esperança é que isso seja de geração para geração. Talvez chegue para mim o momento esperado. E que a tatuagem de trevo de quatro folhas, que que farei em breve, me ajude para alguma coisa.

14 de out de 2009

a moça do sapato perfeito

Bem coisa de mulher: reparar muito em outras pessoas do sexo feminino. No cabelo, nos acessórios, na roupa, na cor do esmalte. Se é gorda, magra, como são as pernas. Confessa, vai, você faz isso. O tempo todo. Assim como eu. Mulheres são seres competitivos, e reparam mais em outras mulheres do que em homens - e isso já foi comprovado em diversas pesquisas!

Toda essa introdução para começar, finalmente, o post sobre a moça do sapato perfeito.
Eu estava trabalhando, tranquilona. Provavelmente limpando alguma coisa. Ou lendo. Essa vida de livraria, vou te contar, né? Ok. Eu estava lá. Nisso, entrou uma cliente, que foi olhar revistas. Não era uma das clientes habituais, portanto, eu não a conhecia. Mas algo nela me chamou a atenção: o sapato. Sabe quando você vê um sapato e pensa: Céus, eu quero esse sapato e QUERO AGORA? Foi mais ou menos assim. O sapato perfeito era preto, com o bico redondo, de salto. O detalhe? Era de bolinhas brancas. E tinha um lacinho! Sério, era o sapato mais fofo EVER! Já olhei com a cliente com outros olhos. Afinal, ela tinha o sapato que EU desejava - e eu não quero o sapato perfeito nos pés de outra mulher, ainda mais quando eu estou apenas de sapatilhas (de zebrinha, vamos considerar!).

Depois de olhar o sapato, resolvi conferir o look da dita cuja figura. Choquei. Era um dia meio frio, e ela estava com uma blusão de malha, mais grossinho - roxo. E uma legging. Algumas mulheres tem essa mania - usar legging e alguma blusa mais curta, deixando a bunda de fora. Alôou? Para mim, isso é roupa de academia! Só consegue ficar pior quando a mulherada coloca blusas com barriga de fora e botas. Mas não - a moça do sapato perfeito não estava de botas. E ela definitivamente não tinha um corpo legal para usar blusão e legging. Tipo, ela poderia ter vestido uma calça jeans, uma camiseta branca e o sapato perfeito. Ficaria linda. Mas não, ela estragou o visual, inventando. É tipo gorda que insiste em mostrar a barriga com piercing. Detesto.

"E por que essa indignação toda, Nicole?" - vocês perguntam. Ah, eu me indigno mesmo. É que as pessoas desperdiçam as coisas que elas tem! A moça tinha um sapato perfeito e estragou o look com as roupas medonhas dela! Assim como tem pessoas que tem dinheiro pra caramba, e ao invés de, sei lá, viajarem pro Egito, colocam mega hair no cabelo. Ou pessoas que não precisam trabalhar e passam o dia no msn. Ou não precisam pagar a faculdade e matam aula. Todos ladinos.

Se eu tivesse aquele sapato, tenho certeza de que o visual seria melhor. Haha.

12 de out de 2009

o prazer da leitura

Esqueça diamantes, sapatos e vestidos Valentino. Esqueça horas de sessão de massagem, cerveja gelada ou gol do Grêmio. Embora tudo isso seja maravilhoso, tenho que admitir, é outra pequena coisa (às vezes não tão pequena), que torna meu dia muito mais alagre. Sabe o que é? Então. A coisa mais prazerosa que existe é abrir um livro e, bem, ler! Viajar com ele. Sabe quando você está lendo um livro bom mesmo, que a cada capítulo você mergulha mais na história? Que quando ele parece estar indo pro final, você confere quantas páginas ainda tem pela frente e fica meio triste, achando que poderia ser maior? Que quando você acaba, dá um suspiro e já fica com saudades dos personagens? É isso mesmo que estou falando. Seja Harry Potter, Machado de Assis ou filosofia. Crepúsculo, Jorge Amado ou Paulo Coelho. Por um prazer barato e que faz bem para a cabeça. Leitura já! :D

9 de out de 2009

meus videoclipes com idosos na academia

Eu faço musculação, todo dìa, às 7 da madrugnhã. E com disposição, ainda mais depois que o cara lá, o personal, disse que seria bom se eu mudasse minha alimentação e perdesse peso. Isso não vem ao caso agora.
O que importa é que eu malho escutando um som bem alto, com meus fones. Isso me exclui dos outros barulhos lá da academia, seja do telejornal que eles assistem de manhã lá, ou das conversas entre os senhores e senhoras que estão por lá, correndo nas esteiras ou empurrando mais pesos que eu no leg press. Você leu bem: senhores e senhoras. Afinal, no horário que eu vou na academia, os caras gatos e sarados ainda estão dormindo, provavelmente. Então sobram os tiozões e as vovozinhas.
E o que meus fones e minha música tem a ver com isso? Ok, na verdade é um pouco bizarro. Estou malhando na, sei lá, máquina de extensão de pernas, por exemplo. Escutando My Humps. Olho para a esteira e tem uma senhora correndo lá. É inevitavel: eu imagino como se fosse o clique da música começando, pelo menos na minha cabeça. Olho para o outro lado, uma senhora malhando glúteos. Um tio malhando o bíceps. E a música tocando. O clipe se forma. E pode ser para qualquer música. De Lady Gaga à Taylor Swift. Invariavelmente os protagonistas do meu sucesso mudam, mas sempre envolvem idosos malhando. Na esteira, na maioria das vezes.

Pena que essa semana, quando uma senhora caiu na esteira, eu não estivesse escutando uma música mais legal. Daria um belo efeito ao meu videoclipe. Ok, estou brincando. Foi bem tenso quando ela caiu, e tiveram que puxar a tomada da esteira fora, porque ela não parou nem com o botão de emergência, e enquanto isso a senhora estava deitada lá, e a mulher da esteira do lado segurava ela pelo braço, para evitar que ela fosse arrastada embora. O que eu não entendi muito bem, quer dizer, eu não sei se precisava ficar segurando, afinal, da parede ela não ia passar! A esteira não iria arrasta-la para nenhum lugar sombrio não, hein...
Mas, no final das contas, ela não se quebrou nem nada, só ficou com umas marcas na perna. Menos mal.

E minha MTV mental continuou como de costume.

2 de out de 2009

asteriscos numerativos e desorganizados

1 - Se eu pudesse ficar invisível durante 24 horas, eu iria ao cinema de graça e assistiria todos os filmes da programação do dia, um depois do outro. Porque, tipo, cinema é muito caro! Onde já se viu, pagar mais de 12 reais para ver um filme? Que abuso! Cinema grátis, mas sem pipoca - afinal, já pensou no pacotinho voador na sala de exibição? Sinistro... (Post para o Tudo de Blog)
2 - Tem muita gente por aí que tem uma vidinha vazia, uma cabeça oca e nem um pingo de semancol. Ok, até aí tudo bem. O ruim é que essas pessoas se acham! Acham suas vidas o máximo, se acham os tais, os com as melhores piadas, rotina, tudo! Vocês são uns nadas, ok? Ficadica.
3 - Vícios do momento: pão com Nutella, Gossip Girl, mangá da Turma da Mônica Jovem e Taylor Swift. São boooooons de mais da conta, sô!
4 - Trabalhei a semana inteira na feira do livro do meu município. Aguardem o emocionante post "sobre como é bacana trabalhar na feira do livro".
5 - Coisas que preciso fazer: dizer mais vezes ao meus amigos o quanto eles são importantes para mim, pintar as unhas, terminar meu diário de viagem e atualizar mais esse blog. Eu farei!
6 - Já é outubro, cara. Sou só eu que fico depressiva com a passagem do tempo?