28 de nov de 2009

pequeno episódio do cotidiano (ou "pessoas e suas simpatias")

Nas última semanas, quando chove, não é apenas aquele chuvinha delícia, que refresca e tal. Ela vem acompanhada por seus amigos: raios, trovões, ventanias. E, quando esses danadinhos se juntam, é uma festa só: um temporal. Um temporal sinistro.

Eu estava trabalhando, em um dia normal. De repente, ficou tudo muito, muito escuro. Como se uma nova era glacial estivesse se aproximando. Ok, não era um nova era glacial, mas o mundo ia desabar, disso eu não tinha dúvida. Nem que fosse água, né.
Começou a ventania. No seu setor, que é no segundo andar, tem janelas bem grandonas. Então paramos ali eu e uma cliente (que não queria sair da loja com medo do mal tempo), olhando lá fora as nuvens que vinham, rápidas.

A cliente disse:
- Se eu estivesse em casa, iria virar um banquinho de cabeça para baixo e o mal tempo não iria vir.
Eu perguntei, curiosa e educadamente:
- Como?
- É uma simpatia. Se eu vejo que o tempo não está bom, eu viro um banquinho de cabeça para baixo. O tempo ruim vai todo embora.
Então eu disse, de maneira irônica - mas ainda assim educadamente:
- Poxa, que pena que tu não estás em casa!
Ela, sem notar a ironia, disse:
- Pois é. Sabe que antes eu estava na manicure e tinha vontade de dizer pra ela "vira um banquinho! Vira um banquinho!", mas o que ela ia pensar de mim, né?
Segurando a risada (eu sou bem boa nisso), eu disse:
- É mesmo, né? O que ela ia pensar?

É incrível o que as pessoas acham que são capazes de fazer, não é? Tipo o meu irmão. Dei um chocolate do Grêmio para ele, porque achei bonitinho e tal. E vocês acham que ele já comeu o tal chocolate? Não, é claro que não. Lá está ele, com a embalagem azul bonitinha, rolando no meio da sala. É o chocolate da sorte. Mesmo o Grêmio estando da maneira que está. Vai entender.

22 de nov de 2009

um dia sem voz

Chega o verão e começa aquela função: ar condicionado por todos os lados. É bom, afinal, quem suporta esse calor todo? Porém, pessoas frágeis como eu sofrem com isso. Ou melhor, gargantas de pessoas frágeis como eu sofrem com isso.
Imagine que na última terça-feira estava aquele calor os diabos. Fui na academia de manhã cedo, suei. Tomei banho e fui trabalhar. Ar condicionado bombando. Fui almoçar - calor na rua. Voltei para o trabalho - ar condicionado. De noite, fui para a faculdade. Chegando lá, tive que editar minha matéria para o telejornal da minha turma. Passei muito frio naquela sala congelante. No final da aula, corri para não perder o ônibus. Ofegante, sentei no ônibus abafado e fui para casa. Dormi com o ar ligado. De manhã, saí para o calor e fui dar bom-dia para meu pai. Não saiu nada de voz. Ops.

Cara, como é triste ficar sem voz. Porque quando você não tem voz, "coisas" acontecem.

1) Logo naquela maldita manhã, você tem que apresentar relatórios do seu setor para os colegas de trabalho.
2) Depois, todos os clientes resolvem conversar um pouquinho com você sobre coisas bem legais, tipo "toalhas de tricô" e "o que escrever em um cartão de 15 anos".
3) Os clientes notam que algo está errado e perguntam: "você está sem voz?" ou "você está rouca?".
4) Os clientes dão receitas de chá de alho, de romã, de cachaça com mel, de água benta, de sprite com vodka ou sei lá o quê.
5) Você atende o telefone. A pessoa do outro lado da linha não escuta você e fica tipo "Alô? Oi? Alôoou?" e você ali, em tentativas inúteis de falar algo, até que a pessoa desiste ou diz "Tá aí, Nicole?".
6) Seus colegas, aliás, super se compadecem de você e dizem: "Não entendi o que você falou" e "Fala mais alto, mulher!".
7) Na hora do almoço, você quer conversar com seus familiares e sua mãe diz "Não força a voz, Nicole".
8) Justo naquela maldita noite, você tem que entrevistar alguém para a disciplina de Reportagem Jornalística.
9) No final da noite, o que era um fiapo de voz se transforma em nada, e você é obrigada a ficar sentada na sala de informática, twittando.
10) Você quer contar algo para o seu irmão e ele diz "Não consigo falar contigo, cara. É engraçado demais", porque na verdade você parece um adolescente trocando a voz.
11) No outro dia, você acha que vai estar melhor. Só acha, mesmo. Nada de voz.

A rouquidão nada sexy persistiu por mais um dia e meio. Agora, de volta a programação normal. Vou falar um monte, só para compensar os dias de silêncio forçado. Haha.

15 de nov de 2009

um ano inesperado

Nos primeiros minutos de 2009, depois de ter assistido os fogos de artifício e o primeiro comercial de televisão do ano (que nem me lembro qual era), apenas pensei: espero que seja um bom ano. Esperava que fosse um ano normal, sem nenhum grande pretensão. Já comecei me enganando por aí.
2009 foi O ano, com o O maiúsculo. Realizei meu sonho de conhecer Londres (e chorei quando pisei no aeroporto). Acampei, fiz rafting, fui ao zoológico em um domingo ensolarado. Fiz intercâmbio. Fiz 20 anos na Inglaterra, bebendo Guinness em um pub com música a vivo. Participei de um aquece antes da balada sentada em uma praia, com uma lua cheia enorme brilhando atrás e um monte de gente risonha e bacana comigo. Conheci pessoas fabulosas e fiz vários amigos. Li milhões de livros, passei noites em claro, dando risada. Descobri um gosto por torradas com Nutella e estampas de bichos. Não cumpri a promessa de tirar a maquiagem antes de dormir, mas cuidei muito mais das unhas e cabelos. Finalmente compreendi que os homens são todos iguais, mesmo, embora alguns sejam bem legais. Brinquei em parques de diversões, dancei bandinha e muitas músicas de Michael Jackson, gravei minha primeira reportagem, tirei nota 10 em um discurso.
Eu sempre costumava fazer planos de ano novo, mas descobri que as coisas mais deliciosas são justamente aquelas inesperadas, que chegam de surpresa. Espero que 2010 seja assim: um ano surpreendente, repleto de conquistas, descobertas, pessoas queridas e aventuras. Assim como foi 2009.

11 de nov de 2009

de de sainha!

E o que vocês acham do caso daquela menina que foi hostilizada na faculdade por ter ido de vestido curto? Não fosse só isso, em seguida ela foi expulsa da faculdade, virou conhecida mundialmente (saiu notícia até em jornais do Paquistão!) e depois foi aceita de volta.

Para mim, todo mundo tem um dedinho de culpa nesse barraco. A menina, os alunos, a universidade. Mas principalmente os caras que estudam nessa universidade. Tá certo que o vestido da menina era realmente bem curto e ela não fez certo em usá-lo na faculdade, mas não precisava ter aquele estardalhaço todo. Poxa, eles nunca viram uma menina de vestido? De vestido curto? Ahh, então nunca foram para a praia, nunca andaram pelas ruas, nunca foram para uma balada. Ainda mais no verão. Ainda mais no Brasil. Ficar seguindo a menina, filmando, ameaçando? Ridículo! Uma atitude grotesca, infantil, baixa. Machista.

Dá uma olhadinha, assobia, mas deixa a moça em paz, pelamordedeus!

________________________
- Observação final: UHUL, começou Grey's Anatomy! Agora tenho algo para esperar nos domingos (sim, eu assisto somente a reprise, hoho).

8 de nov de 2009

meus amigos, meu orgulho.

Às vezes, quando sobra tempo, eu paro e penso na vida. E percebi que sou uma pessoa privilegiada, não por ter um cabelo comprido e liso (santa escova definitiva!), nem por ser capaz de acordar todo os dias antes das 7 horas para fazer musculação. Eu sou privilegiada por ter os melhores amigos do mundo. Amigos esses que tem habilidades fantásticas, e me enchem de orgulho por serem exatamente da maneira que são.

Você também sentiria orgulho, se fosse eu.

Eu tenho uma amiga que comprou um fusca em uma porção de suaves prestações. Mas agora ele é dela. E no verão, vamos para a praia de fusquinha, e nada pode ser mais empolgante que isso.
Tenho outra amiga que vê vestidos em revistas e/ou lojas, pega o tecido e a máquina de costura e faz, ela mesma, a roupa.
Já outra amiga é pequenininha, e todos adoram dar apelidos engraçados para ela por causa disso. Porém, o coração dela é enorme - e o senso de humor dela é maior ainda. Quem mais teria a música do Corvo no celular? Quem mais seria sua amigona há mais de 10 anos e iria com você para todos os lugares?
Outros amigos tocam violão como ninguém, e conseguem fazer rimas de blues quando o dia está amanhecendo e você só consegue pensar em "sono" e "travesseiro". E eles sabem os acordes de "Atenção para o toque da azaração!" e "Fica comigo agooora!".
Tenho uma amiga que sabe cantar e dançar todas as músicas de pagode que existem. Todas.
Tenho um amigo que conseguiu chegar ao máximo do The Sims e depois perdeu tudo quando o HD queimou. Ele, porém, é o maior parceiro para indiadas que existe.
Tenho amigos que são craques no xadrez, e que quando me desafiam para uma partida, eu sempre fico com um pé atrás e acabo não jogando.
Tenho um amigo que conseguiu ter o pior mês de agosto do mundo e ainda encarar isso com bom humor. Amigos do curso de inglês viciados em pipoca e que dizem coisas hilárias, e forçam a barra nos jogos de palavras (afinal, nem todo bird canta. Nem carrot).
Amigos que tem ideias absurdas de arabescos e a risada mais gostosa do mundo.
Tem também aqueles amigos de infância que, quando você vê, já estão na mesma balada que você, e se formando no Ensino Médio e fazendo cursinhos técnicos legais, e te apavorando sobre como o tempo passa depressa. E a galera da faculdade, que está sempre pronta para um crepe e um café nos intervalos - que acabam sempre se estendendo um pouquinho.

Tenho amigos que nadam, amigos que são gênios da informática, amigos biólogos, amigos magricelos, amigos gordinhos, amigos que moram sozinhos, amigos intercambistas, amigos virtuais, amigos que cozinham bem, amigos que torcem para o time rival. Amigos que moram longe e me matam de saudade, mas que quando aparecem é como se nada tivesse mudado. Amigos que mesmo não vendo sempre, eu sei que estarão sempro do meu lado quando eu precisar.

Para todos aqueles que eu citei, e os que não foram citados mas estão no meu coração, um muito obrigado. Amigos como vocês, só vocês mesmo.

7 de nov de 2009

aposto um beijo que você me quer

ATENÇÃO: Se você gosta da banda(?) Cine, não leia esse post. Ficadica.

Todas as modinhas estavam como deveriam ser. Tinha Fresno, com aquelas calças tão, mas tão coladas na perna, que, sério, não sei como eles entram nelas. E o Jonas Brothers, com aquela coisa meio "meiga" do anel da pureza. Tokio Hotel, Demi Lovato, Crepúsculo, Hanah Montanna, Vida de Garoto, NxZero, etc. Daí, vinda de sei lá onde, apareceu essa banda Cine.

Cara, o que é essa banda Cine? Da onde surgiram? O que é aquele vocalista, com aquela franja medonha, aquele cabelo pintado, requebrando e, bem, "cantando"? Putz, parece o Tom Cavalcanti de peruca, cruzes!
Antes de qualquer coisa, você já viu o clipe deles, Garota Radical? Pare tudo e veja isso, para podermos prosseguir.

Who o owWho o o o owWho o oooYe ye yeah!

O início é uma baladinha. Galerinha dançando, aquela batidinha. Então, nos deparamos com a figura. Tom Cavalcanti de peruca, camiseta laranja, calça branca de pagodeiro e aquele microfone colorido. Ele faz algumas dancinhas ridículas, depois faz cara de malvado e coloca o capuz do casaco na cabeça, se achando macho. Então ele começa a música.

O simples torna ela demais
Quinta o shopping, domingo os pais
Tento entender
"Por que ainda ligo pra você?"
Ela só me diz não
Pra mim já tornou padrão
E faz, por querer

Te vejo na minha (Te vejo na minha)
Vai ser só minha (Vai ser só minha)
Falo tão sério, é sério você vai
Vai ser só minha (Vai ser só minha)
Vem ser só minha (Vai ser você)
Aposto um beijo que você me quer

Who o owWho o o o owWho o oooYe ye yeah!

Na verdade, eu nem preciso colocar toda a letra. Se você não ficou com o Who o owWho o o o owWho o na cabeça ainda, logo ficará. Sabendo essa parte, você sabe a música. A "coreografia" também não é complicada. Faça um carão e jogue os braços, imaginando que está dando um soco em um inimigo ou ex-namorado maldito. Pratique um pouco antes, ou vai acabar acertando alguém na balada, quando for exibir sua "dança Cine".

O clipe continua trocando de imagens de azarações que só dão errado numa baladinha para o vocalista tosco e os outros caras da banda em momentos de "me filma, sou phoda!", danço saltos e fazendo passinhos.

Tudo bem, eu entendo que essas modinhas são fases, nada mais que isso. Mas, tipo, peguei implicância com o vocalista da banda! Os outros caras, tudo bem. Tem até um usando tipo uma headband, mas isso é super in, mesmo o meu irmão falando que é coisa de boiola. (Ele não entende de tendências). Mas esse vocalista, cara! Que ódio dele! Se achando, magricelo, não dança nada, gemendo. E aquele microfone colorido, diabo! Desde que apareceu o microfone colorido, nos primeiros segundos do clipe, detestei ele. O vocalista e o microfone.

Mas, enfim. Se você quer escutar uma daquelas músicas que não saem da cabeça o dia inteiro - não por serem legais, mas por serem porcarias enjoativas - escute Garota Radical, do Cine. Eu "recomendio".