30 de mar de 2008

óh, céus, por quê?

Por que as pessoas, quando vão o um lugar, gostam de explicar o que vão fazer lá? Por exemplo: "Onde tu vai, mãe?" "Ah, vou no shopping. Primeiro vou pagar meu carnê na loja tal, depois vou passar nas Americanas, na livraria e bibibi" "Ah, legal". Tipo, às vezes até é certo explicar o que vai fazer em determinado ambiente, caso você vá a um hospital ou algum país bacana, sei lá. Porém, há casos e casos.
Existem situações em que a finalidade da ‘ida’ tá implícito. “Vou na padaria comprar pão”. Dã. ‘Vou na sorveteria comer sorvete”. Nãão, evidente que não, você vai é comprar um cd da Amy Winesouse e cantar Rehab dançando sozinho no quarto fazendo caras e bocas na frente do oi? Ah, sim, prosseguindo. Situação chatas e constrangedoras não faltam. Exemplifico isso com o caso de um amigo meu, o Jonas (na verdade o nome dele não é esse mas quem liga?). Jonas sempre anuncia quando vai ao banheiro e faz questão de explicar o que vai fazer lá. Inclusive gosta de especificar se é caso de número um ou dois, qual a intensidade dos ruídos que seu interior está fazendo e uma série de detalhes desnecessários. Não precisa, né? A não ser que você queira que as pessoas façam uma imagem mental de você naquela situação no banheiro (o que seria, na minha opinião, tremendamente desagradável, portanto, não me imaginem). Se bem que o que as mulheres fazem realmente no banheiro é o que os homens nunca souberam de verdade - e não sou eu que vou contar, hohoho. Com licença, agora vou ao banheiro e... deixa pra lá.

23 de mar de 2008

E se - thum - a internet acabasse?

Como seria se a internet simplesmente um dia acabasse? Assim, sem aviso prévio, do nada, apenas - thum! - sumisse? Justo quando você estava esperando aquela resposta por e-mail/precisava fazer aquela pesquisa/as duas alternativas e mais umas 2872894? Seria muito estranho. O telefone seria mais usado, as pessoas conversariam mais cara a cara, mandariam mais cartas. As bibliotecas estariam sempre cheias, os cds venderiam mais, a mtv teria mais ibope. Mas seria muito complicado. Como descobrir toda a vida do carinha que conheci ontem na balada? Ou fazer uma super pesquisa sobre a economia da Iugoslávia? Ou conversar com minha amiga que está nos Estados Unidos, marcar aquela pizzaria com os colegas da faculdade, escrever posts para o Tudo de Blog? Aliás, acabaria o Tudo de Blog. Acabaria Orkut, Twitter, YouTube e todas essas coisas que adoramos. Seria chato, tediante, enfim, tudo seria um saco. É claro que depois de um tempo todo mundo iria se acostumar. Mas, sei lá, que não aconteça, hein? O que seria de mim sem o tio Google sorrindo pra mim todo dia? hahaha

19 de mar de 2008

Um Deus para acreditar

Com a Sexta-feira Santa quase chegando, bate a questão: em que Deus você acredita? Sou da religião Evangélica mas não frequênto igreja. Acredito na existência de uma força superior a nós, que está em cada um. Cada um chama essa força como quiser. Eu oro todo dia, tanto para agradecer por tudo que tenho quanto para pedir alguma forcinha em algo, para Deus. Poderia ser para Jeová, Alá, Buda, Virgem Maria, São Tomé, mas oro a Deus. Isso não quer dizer que não acredito em outras forças ou outras religiões. Acredito em vidas passadas, reencarnação, reiki, guardiões espirituais, acho bacana os princípios budistas. Acho que quando o assunto é fé devemos ser abertos a tudo, já que cada um tem a sua. A fé move montanhas!
(Para o site da Capricho!)

A Páscoa já é domingo! Minha nossa, como chega ligeiro! Pro Natal é aquela espeeera, parece que nunca chega. A Páscoa não. Quando você vê, já é quarta-feira, depois quinta e sexta já é feriado e não tem que ir trabalhar (hahaha) e o cardápio é peixe a você adora e adora ir de manhã cedo até o Santuário das mães andando e no sábado você tem que ir trabalhar do mesmo mas, hã, hehe. Mas, como eu ia dizendo, a Páscoa é domingo. Então, queridões, Feliz Páscoa para todo mundo! Muitos Alpinos, Sonhos de Valsa, Twist, Prestígios, Diamantes Negros e Stikadinhos para vocês.
E, só para informar, aceito todos os chocolates citados acima (aceito até Sedex com os chocolates acima, caso você ainda não tenha entendido, ok? :P).

6 de mar de 2008

Vale tudo pela fama?

Coisas normais que as pessoas fazem para atingir a fama:
- mandam vídeos para o Big Brother;
- escrevem em blogs;
- colocam 28783 fotos com poses ousadas no Orkut.

Coisas um tanto estranhas que as pessoas fazem para atingir a fama:
- mandam vídeos dançando créu para o Big Brother;
- completam o pedacinho da canção no 'Qual é a música' de maneira muito desafinada (ou não);
- formam uma banda onde ninguém saiba cantar direito e as letras não tenham exatamente um conteúdo.

Coisas muito bizarras que as pessoas fazem para atingir a fama:
- mandam vídeos de uma intensa saga de um batman sendo perseguido por uma loira de biquini para o Big Brother (com Créu ao fundo, lógico)
- correm só de meia em estádios de futebol
- sambam sem roupa e cobertas de purpurina no carnaval, sorrindo muito e usando plumas na cabeça.

Vale a pena tomar essas atitudes estranhas por 15 minutos de fama?
- não. o sucesso vem com o tempo, para aqueles que merecem. não adianta forçar sua chegada.
- vale se você quer ser aquele manezão que fica famoso por 3 dias (quando isso) e depois todos esquecem;
- na verdade, querer ser famoso sem um talento real é olhar somente para seu próprio umbigo.

O que eu digo sobre isso?
- Menina, menino, deixem a vida correr. Se o sucesso chegar para você, se seu talento for reconhecido ou você for para o Big Brother, não deixe que as ofuscantes luzes da fama lhe ceguem. Não perca a linha, pois seguir o caminho de Britney Spears está bem fácil ultimamente.

Post para a revista Capricho