9 de jul de 2010

julhos passados

Escrevi em julho de 2007:
Meudeusdocéeeu. Sexta-feira é meu aniversário. E vou fazer 18 anos. E estou achando meio, hã, assustador. [...] Fazer 18 anos é como ultrapassar uma linha imaginária que eu mesma tracei. E, claro, passar dessa linha não muda nada. Ou muda. Vou poder doar sangue e fazer meu cartão da Renner. Mas, por outro lado, vou ser a responsável por meus atos! Adeus vida de crimes e impunidades.

Escrevi em julho de 2008:
... E que esses 19 anos não passem tão rápido quanto esses 18, pois morro de medo de fazer 20. Eu gosto de brincar dizendo que fazer 20 anos é o início do fim (desculpa aí quem tem 20, aiehaoi). É claro que quando eu chegar lá, fazer 30 é que vai ser o início do fim (ops, desculpa aos que tem 30). Mas, enfim, vocês entenderam, não é?

Escrevi em julho de 2009:
No meu aniversário (20 de julho e dia do amigo), estarei distante, lá na Europa. Vocês podem enviar presentes e cartões para minha residência no Brasil, que minha mãe tomará os devidos cuidados com eles.

Escrevo em julho de 2010:
Pois é, people. Agora estou no Brasil, prestes a fazer 21 anos. Atravessei as barreiras imaginárias e agora farei parte do time dos que tem "20 e poucos". Medo.
Bom, pelo menos poderei entrar em mais festas agora. E fazer habilitação para dirigir caminhões. Uhul, um mundo de possibilidades se abre diante dos meus olhos! haha, NOT. Mas fazer 21 anos não é tão ruim, né? Poderia ser pior. Poderia ser, sei lá, 27. Deusdocéu, nem quero pensar nos meus 27 anos...

Enfim. Caso estejam em dúvida sobre o que me dar de presente, fiquem de olho no meu Twitter. Postei por lá várias dicas. hahahahaha :D
E que venha a idade!
Beijometwitta! ;)

2 comentários:

Adoro comentários! Vamos conversar?