25 de jul de 2016

Não é preciso ser rico pra viajar



É batata: cada vez que estou indo ou voltando de uma viagem eu tenho que ouvir sobre como sou milionária e sobre como as outras pessoas são pobres e por isso não conseguem viajar.  Esse tipo de coisa me causa gargalhadas. Rica, eu?

Tenho comigo a convicção de que não é preciso ter a conta bancária mais recheada do mundo para poder conhecer lugares diferentes. É tudo uma questão de 1) prioridades e 2) organização.

Sobre prioridades é aquilo: você precisa abrir mão de algumas coisas para dar espaço a outras. Eu prefiro ir pra balada toda sexta e sábado ou prefiro passar um feriadão em uma praia incrível? Eu preciso mesmo comprar roupa nova toda estação ou as peças que tenho são boas o bastante? Vou morrer se deixar de fazer as unhas no salão toda semana? Ou se deixar de comer fora o tempo todo?

Essa coisa do salão, inclusive, é bem real. Quanto custa hoje em dia para fazer as unhas? Não sei ao certo, mas deve ser algo entre 15 e 30 reais. Eu aprendi a fazer minhas próprias unhas em casa faz um tempão – e não foi por questão de dinheiro. Perdi as contas de quantas manicures tiraram verdadeiros BIFES dos meus dedos. Cansada de ficar dolorida, resolvi que eu mesma poderia lixar, tirar cutícula, pintar direitinho, etc. E nisso eu acabo deixando de gastar um monte.

Isso é só um exemplo de pequenas trocas que podem ser feitas e que às vezes a gente nem se dá conta. Tomar café da manhã em casa ao invés de comprar cafezinhos na rua. Customizar uma peça de roupa ao invés de comprar uma novinha. Fazer uma janta com amigos em casa ao invés de gastar 60 reais em uma pizzaria.

É importante frisar que eu não me privo das coisas que eu gosto. Eu saio, eu vou ao cinema, eu janto fora, eu compro roupas. Mas eu também me organizo, e esse é o segundo item importante para quem quer viajar: se organizar!

Se eu sei que vou viajar pra fora em dezembro, desde muitos meses antes eu já vou começar a guardar um pouquinho mais de dinheiro pra poder bancar a trip e as despesas dela. Vou atrás de algum freela pra dar uma reforçada no budget. Vejo formas alternativas de descolar uma grana extra, tipo vendendo alguns livros parados em um sebo. Evito fazer muitas compras parceladas. Não comprometo o meu décimo terceiro com dívidas.

E além do dinheiro, eu já gosto de decidir bem antes o que eu quero fazer e para onde quero ir. Se você gosta de resolver as coisas em cima da hora, acaba gastando muito mais dinheiro com hospedagem, com passagem e com calmante: afinal, nada mais estressante que fazer correrias para acertar tudo nos últimos minutos do segundo tempo.

Uma das partes mais gostosas de uma viagem é aquela fase de planejar ela, pensar nos roteiros que você quer fazer, percorrer as ruas que você vai ver ao vivo pelo Street View. Não sei vocês, mas eu amo isso. E isso é possível quando você organiza sua vida financeira e sua agenda para viver momentos assim.

Não me chame de louca, mas meu ano novo já está sendo organizado desde agora. Que tal já pensar nisso?

Viajar vicia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro comentários! Vamos conversar?