20 de out de 2011

20 dias 20 posts - 2: eu sou um desastre ambulante

Eu sou uma pessoa desastrada. Mas não daquele tipo de pessoa que derruba o que estiver segurando, quebra xícaras, faz sujeira na cozinha, etc etc. Eu sou desastrada comigo mesma. Verdadeiramente falando, eu sou um desastre ambulante.

No último verão eu me expus um tempão no sol e, além de ficar com uma marca sexy de REGATA (eu falei sobre isso aqui), eu consegui queimar um braço só. Não sei como. Ele ficou incrivelmente vermelho, ardia, aquela coisa toda. E depois de um tempo descascou, deixando meu bronzeado todo fodido. Parecia que eu tinha queimado o braço com azeite, sabe? Feio.

Nessa mesma temporada de verão (aliás, nessa mesma semana, pois foi a única que tive férias e fiquei na praia), eu consegui a proeza de cortar o pé. E olha a história vergonhosa que eu vou contar agora. Eu e meus amigos fomos passar do ano a virada nas dunas, na praia. Daí deu a meia noite, fogos de artifício, banho de espumante, aquela coisa toda. ÓBVIO que o nível de alcool da galera estava altíssimo. E o meu... bom, o meu também tava (sorry, mãe, nunca mais vou beber!). ENTÃO resolvi que precisávamos ir pular as ondinhas e tal. Atravessamos a praia CORRENDO, entramos no mar, pulamos as ondas, aquela coisa. Nisso eu senti que tinha pisado em alguma coisa, porque meu pé estava doendo. Mas não liguei, tinha muita festa pra curtir ainda. Quando eu voltei pro camping... HALP PRODUÇÃUN! Vi que meu pé estava toooodo cortado embaixo. Sangrando, horrível. Mas nem deu nada – só uma cicatriz pequenininha. A coisa que eu pisei era uma lata, provavelmente. Ou uma pedra. Ou algo muito mais afiado do que eu desconfiava.
Bom que, como a minha chefe disse, o álcool que estava pelo meu corpo serviu de antiséptico. E a água do mar deu aquela limpada no dodói.

Algum tempo atrás eu pisei em um buraco, caí na ladeira da agência onde trabalho, torci o pé, estirei o tendão e fiquei mais de uma semana com faixas e pés encima da cadeira e pessoas me ajudando a descer escadas. Contei nesse post aqui.

Duas ou três semanas atrás eu torci o OUTRO pé. E foi durante um TRENZINHO DO CHOPP. E só não foi pior porque o meu irmão estava perto de mim e me segurou antes que eu desmoronasse completamente e me cortasse toda nas pedras. Cara, cadê a dignidade que tava aqui? Foi correndo e não vai voltar nunca mais pra esse blog, acho.

PORRA, eu não consigo passar nem autobronzeador no corpo sem ficar com pelo menos 4 partes manchadas – geralmente mãos, pés, pulsos e orelhas.

Enfim. Todo esse apanhado desastradamente vergonhoso só para contar que esse final de semana que passou eu fui para uma festa germânica chamada Oktoberfest (alguns de vocês conhecem, outros não), que dura cerca de 12 horas e é regada à chopp, bandinhas, chopp, caminhadas intermináveis, gente bêbada e mais chopp. Era um verdadeiro convite para uma pessoa propensa a acidentes como eu sou.

Inclusive essa semana várias pessoas vieram me perguntar se eu não tinha me machucado ou torcido nada durante a festa.

E eu digo pra vocês: NÃO. ME. MACHUQUEI. Nem quando faltou luz, nem quando eu corri na chuva, nem quando o piso estava molhado de chopp, nem quando eu dancei feito louca a coreografia de Fliegerlied, nem em nenhuma hora. SUCESSO, GENTE!

Vocês também são assim? BEIJO!

Um comentário:

  1. Oi Queri, realmente a aplicação do autobronzeador não é o seu forte , sorry.
    Importante é que entre mortos e feridos , você sempre sai trabalhada no glamour .
    Adorei !

    ResponderExcluir

Adoro comentários! Vamos conversar?