5 de ago de 2009

a saga do intercâmbio - parte final - as últimas aleatoriedades e o top 10

Escrevo do Brasil, porque um dia a gente precisa voltar para a realidade. E esse é o último episódio da saga mais cosmopolita que esse blog já teve, com as última aleatoriedades. Depois disso, voltaremos a nossa programação normal.

- Gays. Não sei se você já ouviu falar, mas a cidade onde eu estava, Brighton, é a mais, digamos assim, cabeça aberta do Reino Unido. Lá os homossexuais podem andar livres e sorridentes, sem ninguém ficar apontando, julgando, enfim. Outro reduto homossexual é a região do Soho, em Londres. Isso me lembra um dia interessante que passamos por lá, e os meninos ficaram meio, hm, tensos, com o aparente ar festivo das ruas. E, veja bem, quando eu apontava uma danceteria repleta de homens na frente, alguns inclusive vestidos de vaqueiros ou com roupas justas, e alegava que ali seria um lugar interessante e agradável de se ir, meus amigos caminhavam mais rápido e nem me davam ouvidos... Que coisa! E eles queriam estar, a qualquer custo, longe de Brighton no dia 2 de agosto, um sábado que teve a parada gay por lá. Um deles até disse "Eu não quero ver um bando de homens seminus, cobertos de óleo de amêndoas Paixão e se insinuando uns para os outros". Aliás, "se insinuando" foi a expressão mais utilizada aquele dia. "Ele está se insinuando para você". "Tu tá se insinuando com essa ameixa" e assim por diante. Então, no dia da parada gay, eles foram para Londres em um jogo do Arsenal, como você verá mais adiante, se continuar na leitura desse post, em busca de um lugar muito mais másculo e sem frescuras.

- Brasileiros em Londres. É só chutar uma moita e você encontra um brasileiro em Londres. Mas, para mim, a loja da GAP foi o point de encontro. Estava eu lá, olhando os moletons e casacos, quando avistei uma garota com a camiseta do Grêmio! Sério! Fiz uma social e descobri que ela era de Cachoeira do Sul e estava a passeio com os familiares. Em outro dia, na GAP, vi pessoas falando em português. Fiz um contato e descobri que não só eram brasileiros como também eram gaúchos e estavam fazendo intercâmbio na mesma cidade que eu! Vi brasileiros também no Pizza Hut, nas lojinhas de presentes, nas excursões e nas ruas de Londres. Inclusive em uma esquina da Piccadilly Circus, certa noite, um rapaz se aproximou, abraçou um de meus amigos e juntos cantaram uma das musiquinhas do Grêmio, com muito vigor. Isso foi filmado e um dia vocês verão. Poxa, brasileiros dominarão o mundo!

- Jogo do Arsenal. Como eu não sou exatamente o tipo de pessoa que vai a estádios, enviei meu amigo Rafael Rosa para acompanhar a partida e nos deixar com os comentários esportivos pertinentes que só um homem pode fazer. Ele se puxou na tarefa, e o resultado vocês podem acompanhar agora:
"Então, conforme combinado, escrevo para relatar nossa experiência de adentrar no Emirates Stadium para assistir uma partida válida pelo Emirates Cup, disputada entre o dono da casa, Arsenal, e um adversário não menos imponente, Atlético de Madri, detentor da segunda maior torcida da Espanha. Digo nossa experiencia porque tive o prazer de compartilha-la com Cris, Diogenes e Giordano. Como fica dificil assistir a uma partida de futebol de forma imparcial, optei por dar meu apoio aos mandantes do jogo, que também é conhecido como um time copeiro, igual a um certo imortal tricolor que existe no Brasil. Certamente esta foi a razao pela qual não tive dúvidas em me posicionar. Dito isto, chega de rodeios, vamos direto ao ponto. Deixamos aquele clima fresco de Brighton em 02/08 (o dia da parada gay em Brighton!), em busca de um reduto macho na Inglaterra... E a partida não foi exatamente um jogaço. A falta de entrosamento ficou evidente e com isso houve poucas jogadas trabalhadas. O recurso mais utilizado por ambas as equipes era lançamento longo e as jogadas individuais. Apesar de terem surgido boas chances de gol, com direito a bola na trave e penalty nao marcado, o jogo se encaminhava para um modesto zero a zero, mas para nossa grata surpresa, quando ja passados 40min do segundo tempo, o Arsenal abriu o placar com Arshavin, em um cruzamento de Fabregas. Pronto, estavamos satisfeitos, era a cereja que faltava no nosso bolo. Antecipamos a retirada do estádio e já do lado de fora foi possível ouvir a manifestação das torcidas, por duas vezes. Minutos mais tarde, no trem que pegamos para estacao Vitoria, perguntei a um legítimo torcedor Gunner quanto havia terminado o jogo e ele me informou que o Atlético havia empatado e em seguida Arshavin fechou a conta para o Arsenal, fazendo 2x1. Como estou escrevendo com um delay de dois dias, pois aqui em Paris é um caos para conseguir um computador com internet (kkk, sempre quis dizer isso), gostaria de fazer constar que no domingo o Arsenal sagrou-se campeão da competição, vencendo novamente - desta vez a vitima foi o Rangers. Encerro aqui meu relato. Foi um prazer fazer as vezes de correspondente esportivo. Lamento não poder fazer um relato sobre o museu do Louvre, pois não entendo patavinas de arte e iria fazer papel de ridiculão...he he he. "
É, o doutor Rafael resolveu passar uma semana a mais fazendo intercâmbio, só que foi para a França... Que nojo! hahaha Espero que a menos me traga miniaturas da torre Eiffel. E até que o garoto, para um mero acadêmico de direito, escreve legalzinho, né? Obrigada, Rafa!


- Coisas que vou sentir muita falta da Inglaterra - Primark, pubs, RedBull muito barato, poder comprar KitKat em qualquer mercadinho da esquina, poder ir e voltar da balada de ônibus, sem sentir medo nenhum. Aliás, ônibus pontuais. E ficarei com saudade do metrô, e de passear por Londres. Sentirei falta também da liberdade do intercâmbio, dos amigos que eu fiz, de ficar o dia todo batendo perna, fazendo coisas diferentes e ouvindo frases lendárias como "E aí, gambazada!" ou "Eu sou um desgraçado no pagode". Saudades de uma vida sem rotina, de férias, sem trabalho. Ô sonho bom.

- Coisas que eu definitivamente não vou sentir falta da Inglatera - espanhois malditos e fedidos, feijão branco com molho de tomate em lata, pessoas olhando com cara feia quando você tosse e o maldito tempo inglês, que não se resolve.

- Top 10. E, para finalizar com chave de ouro, depois de muito tempo pensando, refletindo e pesando possibilidades, cheguei ao The Best Of de meu intercâmbio. Inicialmente, eu faria um top 5, porém, muita coisa ficou de fora, e tive que fazer um top 10. Tudo certo, tudo certo. Sem mais delongas.
10)Greenwich - é claro que Greenwich foi um pequena decepção, afinal, eu pensei que estar exatamente no meio do planeta seria uma coisa muito mais glamurosa do que simplesmente parar com as pernas meio abertas encima de uma linha estreita e dourada no chão. Mas, ainda assim, eu estava no meio do mundo, e é muito doido pensar isso. Aquela miserável daquela linha que eu desenhava nos mapas de geografia - eu estava nela! Bem encima dela! Como é que eu poderia ter adivinhado, hein?
9)Lewes - uma cidadezinha próxima de Brighton, meio medieval, com os jardins mais lindos que eu já vi. Quero me casar lá. É perfeito.
8)Oxford - cidade universitária, com os prédios muito antigos e legais. Em Oxford estudaram vários escritores famosos, e lá eles praticam 88 modalidades de esportes. Você sabe me dizer no mínimo 30 esportes? Pois é, eu também não sei. E lá em Oxford eu entrei em uma igrejinha que eles utilizaram no filme do Harry Potter. Aquela sala de refeições com as 4 mesas compridas, sabe? Eu estive lá. E, respondendo a pergunta que não quer calar, os quadros não se mexem.
7)Cambridge - mais uma cidade universitária - e essa repleta de caras bonitos. E Cambridge é enorme, com certeza maior que Estãncia Velha, se bem que isso não é parâmetro nenhum, mas, hã, prosseguindo... E lá é possível pagar umas 4 libras e andar em charmosos barquinhos, apreciando todas as vistas bonitas dos prédios e igrejas. Isso é, é muito charmoso se você não é o cara que fica remando o barquinho com uma taquara ou algo do estilo, e suando pra caramba. Como não fui eu, hohoho, fiquei deitada como uma lady, dizendo 'hello" para as pessoas que passavam. Foi um belo momento.
6)Stonehenge - aquelas pedras gigantes, proteção de tela do Windows, como disse a Canela. E, cara, é muito sinistro lá, não só pelas pedras serem no meio do nada. Quer dizer, as pedras são no meio do nada sim, e, o mais estranho é que de alguma maneira elas foram parar justamente ali, onde estão. E elas são tão grandes, e dizem que um terço delas está enterrado! É um lugar que apesar de frio e ventoso, você pode passar um bom tempo levantando teorias bizarras sobre a origem dessas pedras, de meteoros e extraterrestres à povos antigos (a teoria mais aceitável, mas definitivamente a mais sem graça).
5)Windsor - moradia oficial da Rainha te diz alguma coisa? Siiiiiim, imagino. E quando a bandeira da Inglaterra está asteada encima de uma das torres do castelo, quer dizer que a dona Rainha se encontra em casa. É claro que eu vi ela, e Eliza inclusive insistiu para que eu entrasse e tomasse uma xícara de chá, mas pensei que seria muito incômodo, e falei a ela, delicadamente, que eu preferia continuar meu passeio apreciando o castelo. E vi a troca da guarda, quando aqueles carinhas com aquelas roupas vermelhas e chapeus compridos, tocando instrumentos musicais, entram marchando no castelo, para logo depois substituirem os outros caras de vermelho que já estavam lá. Bem legal.
4)Brighton - a cidade que eu estava morando durante o intercâmbio e que, com certeza, é um pedacinho do paraíso. Embora lá tenha as malditas gaivotas que faziam algazarra de manhã cedo, e a praia fosse repleta de pedras, o restante era perfeito. Muitos pubs e clubs legais, sistema de ônibus que funcionava direitinho, mercados e lojas com preços justos e muitas opções de lazer. Primark, a melhor loja de roupas EVER, Tesco, o mercado favorito da galera, Babylon e Oceana, as suuuuper baladinhas e Pinoccio, o restaurante italiano mais delicioso de todos. E sem falar que foi em Brighton que eu tive a oportunidade de ver algumas das cenas mais inusitadas da minha vida, e conhecer pessoas mais bizarras ainda. SHOW!
3)Londres em geral - já que esse é o meu top 10, posso criar as regras que quiser para fazê-lo, assim como também posso trapacea-las. Pois então, em terceiro lugar no meu top 10 elejo Londres em geral. Isso abranje a cidade de Londres, com todas as vistas, pubs, museus e atividades diversas. Se eu fosse colocar cada uma das coisas que fiz em Londres separadamente nesse ranking, nem teria graça. A esperteza me fez incluir tudo. Então, em terceiro lugar está Soho, Piccadilly Circus, ônibus vermelhos de dois andares, estádio do Arsenal, andar de metrô e escutar a frase "Please mind the gap between the train and the platform", Trafalgar Square, bem como as vistas lindas do Big Ben, dos prédios do Governo, das catedrais, da Tower Bridge e todos os museus legais que eu fui, do Madame Tussauds ao British Museum. E também a London Eye, a roda gigante que é gigante mesmo. Uma categoria muito abrangente, eu diria.
2)Pessoas que conheci - sim, é claro, eu não poderia deixar de colocar aqui, no alto do pódio, as pessoas maravilhosas que conheci neste intercâmbio. Antes de ir viajar, estava ressabiada que de repente poderia ser um grupo chato, que não se misturaria e tal. Me enganei redondamente. O grupo se entrosou muito, logo no primeiro final de semana. Mais do que companheiros de viagem, fiz amigos, que me acompanharam em excursões, pubs, festinhas, almoços e passeios. Um post em homenagem a eles já foi feito. Acho que não preciso falar muito mais não.
1)Mamma Mia!! Mais uma vez contornando as regras do meu top 10, afinal, Mamma Mia deveria se encaixar em Londres em geral, por ser um musical de Londres e tal. Mas eu que mando nessa budega, e Mamma Mia é o número um. Gente, é lindo. É de rir e chorar. É melhor que o filme, que já é perfeito. Valeu cada um dos pounds que eu paguei para assistir. E, depois do espetáculo, ainda é possível andar por Londres à noite. Precisa dizer mais?

Mais fotos podem ser visualizadas no meu Orkut. Me adicionem lá e digam que são fãs do meu blog, hahaha. Daí eu aceito vocês e vocês olham as fotos e todo mundo fica feliz. :D

E, ok, o intercâmbio foi uma experiência incrível, mas vamos voltar a normalidade. O próximo post será sobre, bom, ainda não sei sobre o que será, mas provavelmente será diferente. Ou não. Aguardem e confiem. ;**

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro comentários! Vamos conversar?