18 de dez de 2014

a história do brigadeiro

Festas de aniversário dos meus tempos de criança é que eram boas. A fartura de coxinhas, docinhos e canudinhos de carne moída era incrível. Não era preciso ficar pensando em que look usar – sempre tinha uma roupa “boa” para essas ocasiões. Brincadeiras na rua, balões, uma fita do Sandy e Júnior e estava feita a celebração. Nada dessas festas sem comida de hoje em dia, em que tudo gira em torno da bebida e – mal do século – cada um tem que levar a sua.

Uma vez fui em uma festa de aniversário dessas aí, dos meus tempos de criança. Eu não sei quantos anos eu tinha, mas era menos que 10 certamente. A festa foi na casa da aniversariante, até me lembro quem era mas não vou mencionar nomes por motivos de: vergonha. Então. Brinquei na rua com as amiguinhas, comi muito - já que não sou boba nem nada -, ralei na boca da garrafa etc. Lá pelas tantas, provavelmente quando já era fim da tarde, meus pais foram me buscar. Entrei no carro e tcharam, tirei de dentro do bolso dois brigadeiros, que havia separado para dar pro meu irmão. Meus pais riram muito.


Ainda espero o dia em que alguém vai fazer por mim algo que chegue perto do que eu fiz pelo meu irmão naquele dia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro comentários! Vamos conversar?