29 de jan de 2013

eu teria morrido na boate kiss



No domingo de manhã poderia ser a minha mãe a estar nervosa, apreensiva, lotando meu celular com 104 chamadas sem nenhuma resposta. Poderiam ser os meus amigos me procurando em uma lista com mais de duas centenas de nomes que jamais terão um rosto sorridente associado. 

Se eu estivesse na boate Kiss, em Santa Maria, provavelmente teria ficado entre as vítimas que foram queimadas, asfixiadas, pisoteadas.  Sim, é bem provável.

Em situações confrontadoras, o meu instinto é fugir. Porém, em meio ao escuro, à fumaça e ao pânico, acho que eu ficaria sem ação. Provavelmente seria uma das pessoas que cairia no chão e lá ficaria. Até quando? Até o fim? Talvez. 

Toda essa situação me chocou e me tocou demais. Me fez lembrar em todos os lugares com estrutura pobre que já fui. E todas as festas com dançarinos e divertidamente perigosas brincadeiras com fogo. As imprudências pelas quais passamos achando tudo lindo, engraçado.

Mania boba que a gente tem de achar que tudo é eterno. Novela acaba, a forma de bolo tem o último pedaço e as pessoas que a gente mais ama se vão. Porque assim é a vida, ela começa, vai e um dia termina. O maior clichê é a mais pura verdade: a gente já vem pra cá com data de validade. 

A partir de agora, mais atenção com os lugares onde colocamos nossos pés. E mais valor aos momentos que passamos com nossos amigos, nossas famílias, em nossas casas e trabalhos. A gente nunca sabe se vai ter que ir embora sem nem dizer um último adeus.

2 comentários:

  1. Verdade...a gente nunca sabe quando vai embora daqui.
    E eu também repassei mentalmente cada casa noturna que fui, e em 80% delas tive a constatação de que não eram seguras. Aqui o governo já deu a ordem de fazerem vistoria em cada casa noturna para ver as condições de segurança, espero que isso seja feito a sério. Pelo menos pra isso serviu essa triste tragédia.

    ResponderExcluir
  2. eu tbm teria,em qualquer lugar precário que eu já fui, onde tinha mais gente que deveria, que mania besta essa nossa de achar que tudo é infinito.
    bjs

    ResponderExcluir

Adoro comentários! Vamos conversar?