24 de dez de 2012

a rena caolha


Adoro Natal, coisas enfeitadas, pacotes de presente. Mas simplesmente tenho PAVOR de ônibus, lojas e ruas cheias de gente. Principalmente de gente mal educada, que fica esbarrando sem pedir licença ou gritando dentro do ônibus com a vizinha que está sentada uns 4 bancos mais para frente.

Ontem eu peguei um desses transportes cheios de gente tosca gritando, mas a causa era nobre: fui assistir o Hobbit. Yeyyyy! =)

Cheguei no shopping e já dei de cara com aquele tendel. Parecia um formigueiro de gente saindo e entrando de todas as portas abertas, se lambuzando com sorvetes de casquinha, tirando foto do lado dos arranjos... Tipo um pequeno pesadelo. Mas ok. Fui lá, comprei o ingresso e fiz umas perguntinhas para o cara da bilheteria:

- Quantos ingressos já foram vendidos para a seção de hoje?
- Olha, mas de 100...
- Ai... E tipo que hora a galera começa a fazer fila? 
O carinha olhou para a entrada das salas e disse:
- Olha, já devia ter começado uma fila agora...

Faltava mais de uma hora para começar o filme. Pensei “FUCK THIS SHIT. Eu não vou ficar uma hora parada aqui esperando. Eu quero COMIDA”. Então fomos no Burger King comer e voltamos meia hora depois para a tal da fila, que já parecia a cobrinha do jogo que jogávamos no celular, lembram?

Só que ainda assim seria necessário esperar meia hora na fila. Eu não tenho a paciência entre as minhas virtudes. Então fiquei uns 2 minutos cantarolando “taking the hobbits to Isengard” e corri para a Camicado, enquanto D. segurava lugar para a gente na fila. 

Sou louca pela Camicado. Nunca pensei que algum dia eu deixaria de ficar horas olhando roupas para suspirar por canecas, talheres e toalhas. Acho que isso é um sinal do universo, me dizendo que sou adulta agora. Hora de achar um bom marido e aprender a virar uma dona de casa. NUNCA! 

Enfim. Estava lá, meio apaixonada, quando me deparei com uma mesa cheia de enfeites de Natal. Papai Noel, estrelas brilhosas, bolas vermelhas e... uma única rena de pelúcia, com um desconto fabuloso. Fiquei intrigada: por qual motivo aquela rena estaria com um preço tão menor? Investigando ela, descobri: a pobrezinha só tinha um olho! O outro botão devia ter caído nesses dias selvagens e de consumo frenético que antecedem as festas de final de ano.

Quase comecei a chorar ali, em pleno domingo, no meio da loja lotada. Coitada daquela rena caolha. Quem é que ia levar ela pra casa e encher de amor? O destino dela seria ficar ali para sempre e, depois de passar o Natal, ser encaixotada com outros enfeites desprezados. Not that day, people. 

Oi, eu tenho um olho só. 

Abracei a rena como se fosse a última pizza de lombo do refrigerador do supermercado e marchei resoluta até o caixa. 

A moça sorridente fez uma cara triste e disse:

- Moça, tu viu que esse enfeite está sem um olho?
- Sim, eu vi. É por isso que estou levando ela. A caolhinha! 
- Óun, que amor. Na verdade tu pode dizer que ela tá piscando! Vou colocar numa sacola bem linda pra ti, tá bom? 

E então saí da loja segurando uma sacola linda, metalizada, como se eu estivesse comprando uma daquelas jarras de 100 reais e não uma rena sem olho de 15. Daí que a fila já tinha entrado e eu encontrei D. para olharmos o filme do Hobbit. Tenho mais coisas engraçadas para contar sobre esse cinema, tipo sobre como em engatinhei na entrada, mas fica pra outro post. 

FELIZ NATAL! :)

Um comentário:

  1. A minha sorte é não ter que pegar ônibus na época do Natal, se já é um inferno normalmente...
    Seu post me lembrou de um filme do Adam Sandler, em que ele só compra coisas amassadas por causa do desconto hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir

Adoro comentários! Vamos conversar?