2 de abr de 2009

heroína no limite da razão


Entre tantas pessoas que eu poderia escolher para serem meus heróis, de Dalai Lama ao meu professor de Radiojornalismo, de super-heróis a líderes políticos, fui escolher justo aquela que fuma pra caramba e usa calcinhas gigantes. Ela mesma, Bridget Jones. A heroína romântica do século, que mostra que uma mulher não precisa estar nos padrões de beleza para ser bem sucedida, tanto profissional como amorosamente. A Bridget é minha heroína porque ela começa uma dieta na segunda e termina na terça, é gordinha, come sorvete direto do pote, é a pessoa mais atrapalhada do mundo e ainda assim consegue pegar o Hugh Grant E O Colin Firth! Ela se mete em vários problemas, abre a boca quando não é chamada, usa roupas esquisitíssimas mas sempre se dá bem no final, seja encontrando o namorado dos sonhos, conseguindo um emprego ou se casando e tendo um lindo final feliz. A vida seria muito melhor se todos soubessemos viver um pouco da maneira Bridget Jones - sem ter vergonha do que somos, rindo da vida por mais que as vezes ela queira mesmo nos colocar no chão. Como diz uma comunidade do Orkut: vamos mostrar nosso lado Bridget Jones (errh, tirando, talvez, a parte das calcinhas gigantes de vovó, ok?).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro comentários! Vamos conversar?