7 de jan de 2016

Viajando com Nicole: Punta del Este

Olaaá família brasileira. Tudo certinho? Por aqui tudo beleza. O ano começou e começou a mil. Pra vocês não? É difícil voltar à rotina depois de um período de férias, mas já estou a todo vapor – dois posts no blog em uma mesma semana é um fato que mostra isso haha.

Hoje eu vou contar mais sobre a viagem que fiz para o Uruguai no finalzinho de 2015. No post anterior eu já falei sobre o hostel, a empresa pela qual viajei, o dinheiro e a comida. Hoje é dia de dar mais atenção para a linda, maravilhosa, famosa e ryca Punta del Este. Bora conferir?

Punta del Este já foi considerado o balneário mais luxuoso da América do Sul e fica em um estado chamado Maldonado. 

Eu já havia estado em Punta na Páscoa de 2015 – e até fiz um post aqui no blog contando um pouco sobre a experiência. Dessa vez passamos por lá rapidamente, antes de irmos definitivamente para Montevidéu, que fica a 120 km. O nome é exatamente o que ele sugere: Ponta do Leste, já que Punta fica na extremidade oriental do Uruguai. 

Saímos de Porto Alegre na terça-feira, 20h, e chegamos em Punta na quarta de manhã (lembrando que no Uruguai não há horário de verão, então o relógio volta uma hora). Por puro azar, o dia estava cinza e com ameaça de chuva – ameaça que se concretizou em pouquíssimo tempo. É meio frustrante visitar um local de praia, que é lindo, abaixo de chuva e frio, mas paciência. Shit happens.

A primeira parada foi para fotos na escultura dos dedos. Era cedo e a praia ainda estava relativamente vazia. 




Depois tivemos um tempo para andar pela cidade. Como o tempo não estava convidativo e ainda era cedo e o comércio estava fechado, acabamos só tomando café da manhã em um posto de conveniência e olhando algumas lojinhas. Aproveitei para comer a primeira empanada da viagem. Empanada é vida. E também foi o meu primeiro contato com a língua espanhola (o castelhano) depois de vários meses, o que proporcionou o seguinte diálogo:

- Hola. Una empanada de jamon y queso y un café, por favor.
- Café largo?
- Ja.

Ja, pra quem não sabe, é sim em alemão. E pra quem também não sabe, eu faço aula de alemão toda segunda-feira. Hahahaha. Mas a moça entendeu mesmo assim e me alcançou o tal café grande.  

A visita em Punta foi assim, rapidinha. Nem deu tempo de ver o bairro das mansões ou colocar os pés na água. :(

Na sequência, embarcamos no ônibus novamente e partimos para Punta Ballena, que é onde fica a famosa Casa Pueblo. Eu já havia visitado antes, mas é um lugar que vale à pena. A Casa Pueblo era a residência de verão do artista Carlos Páez Vilaró e tem toda uma vibe grega. 



Lá dentro tem um museu, um café, um restaurante, uma galeria de arte e um hotel, além de uma lojinha com livros, camisetas, pinturas e afins (tudo em dólar e tudo caro). O preço da entrada é 28 reais.  Antes de entrar lá, aproveite para dar uma volta por fora da casa. Você vai tirar fotos incríveis, vai por mim.  

Dicas e pontos imperdíveis:

*na entrada de Punta tem a Ponte da Barra Leonel Viera, que é sensacional, imitando o movimento das ondas. Passar de carro/ônibus por ela é uma experiência bem bacana. Muitas pessoas fazem um retorno na estrada só para poder passar mais uma vez por ela.

* você precisa tirar aquela foto clássica na frente da escultura La Mano (que também é chamada de Los Dedos). Ela é fácil de achar, porque é grande e fica bem no meio da praia Brava. O difícil é conseguir parar sozinho na frente da famigerada, porque não falta turista ali ao redor. Coloque essa foto como a primeira missão do dia: vá lá logo cedão e depois faça o resto do seu cronograma.

* o Conrad é o hotel/cassino mais bonito da região. Eu geralmente não curto muito os cassinos da Argentina e do Uruguai – são cheios de idosos e a vibe parece meio deprê -, mas uma visitinha pra conhecer e formar a sua opinião a respeito é sempre válida.

* tem mais que uma sorveteria Freddo no centro. É sorvete argentino, sim, mas é bom demais. Destaque, claro, para as opções com dulce de leche.  

* consumistas, segurem na mão da Nossa Senhora do Cartão de Crédito. Tem Valentino em plena Punta, além de lojas uruguaias bacaninhas como a Indian Emporium e a Daniel Cassin. Não comprei nada pois as lojas estavam fechadas e tal, mas as vitrines eram MUITO convidativas.

* se você estiver com tempo, tome um cafezinho na Casa Pueblo. Ou espere para ver o pôr do sol lá – dizem que é um espetáculo.

Ficamos por aqui, galerinha! Quem já esteve por Punta pode me contar o que achou e complementar as dicas!


No próximo post eu conto mais sobre os outros dias da Trip, com destaque para a lindona Montevidéu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Adoro comentários! Vamos conversar?