9 de out de 2013

semana 8: os melhores filmes infantis que já assisti foram


Oláaaaaaa, cheguei com mais um post do Desafio das 52 semanas! Olha, só com esse desafio pra eu vir postar aqui no blog, hein? As coisas andam uma loucuuuura – e em breve vou ter muito pra contar aqui. Como por exemplo o concurso de culinária que participei. É, amigos! E não apenas participei, como fui finalista! Em breve falo mais sobre isso. Também quero falar sobre o projeto #fiquemagranicole, que tem dado muito certo – e me deixado muito feliz. Mas isso vai ficar para a próxima oportunidade. Hoje vou falar sobre os melhores filmes infantis que já assisti. Vamos lá!



- Up Altas Aventuras. Às vezes me pego assobiando a música do início, que mostra a vida de casado do protagonista. Uma verdadeira história de amor em poucos minutos, mais bonita, doce e sincera que muitos romances que já vi e li por aí. Isso sem falar no restante do filme; um escoteiro gordinho, cães felizes e falantes, balões coloridos e uma casa que voa. Uma combinação que me conquistou muito.


- Ratatouille. Um ratinho metido à cozinheiro, apaixonado pela França. Um dos meus favoritos. Cheio de frases lindas, pensamentos e aquela busca incessante pelos sonhos. Uma das coisas que eu mais gosto no mundo dos desenhos animados é que tudo acaba sendo possível.


- Valente. Foi uma grande surpresa o tal de Brave. Fui assistir no cinema, sem muitas expectativas, e acabei saindo completamente apaixonada. Estava faltando mesmo uma princesinha ruiva e meio rebelde. Uma graça!


- Aladdin. Chegamos a hora de falar daqueles que fizeram parte da minha infância. Aladdin é um que se eu sentar para assistir, vou saber todas as falas de cor. Um gênio, um lugar exótico, uma princesa... Adoroooooooo! A cena do tapete mágico, com aquela música "Um Mundo Ideal" sempre me fez suspirar e pensar que um dia eu também poderia ter um grande amor e sobrevoar a cidade noite adentro. HAHAHA sério. 


- A Bela e a Fera. E para completar, Disney novamente! A Bela e a Fera sempre me encantou por causa das xícaras, mesas e relógios falantes. E assistindo de novo para um trabalho da faculdade, vi coisas que eu nunca tinha percebido: a protagonista é julgada porque gosta de ler, a coisa do amor sincero, a maldade alheia... Coisas que a Nicole criança nunca tinha percebido. E isso tudo faz eu gostar cada vez mais de desenhos e coisas assim. A magia continua sempre, não importa o tempo que passe!


2 comentários:

Adoro comentários! Vamos conversar?