31 de ago de 2013

o foco

O que eu ando buscando? O que me motiva a acordar dia após dia, arrumar a cama mesmo que eu já deitar novamente à noite, colocar meias por cima de meias e sair na rua, encarando frio, vento e chuva? Qual a razão de tudo isso, desse carro desgovernado chamado vida?  Trabalhar, estudar, beber, comer, engordar e emagrecer. Desejar pesar menos, estudar mais, desbravar o mundo. O que, pelos deuses, te move? 

Essas questões andam martelando a minha cabeça. E chegou a hora de definir isso. Entender o propósito de tudo, para afunilar o caminho e viver cada dia com os olhos apontados para a meta. Cada minuto da nossa vida passa rápido demais. É como se tentássemos segurar areia com as mãos – os grãos sempre acabam escapando por entre nossos dedos. 

Que deixemos de perder tempo se preocupando com bobagens. Jogando demais, dormindo demais, empurrando demais as coisas com a barriga. A vida é agora e eu simplesmente não vou parar. 

Li hoje que quando entendemos o propósito de nossa vida, não há motivação externa que seja maior do que aquela que vem de nossa própria consciência. Foi um baque. Sabe quando as coisas que você mais precisa ler simplesmente aparecem pela timeline? É. 

E aí, você está focado? 

Um comentário:

  1. Eu sempre planejei cada detalhe da m8nha vida mas hoje eu planejo o presente, em realizar algo no presente, pois e para isso que se vive quando comecei a pensar nisso minha vida mudou.

    ResponderExcluir

Adoro comentários! Vamos conversar?